Caso Mariana Ferrer: grupo protesta na Praça Nereu Ramos, em Criciúma

Fotos: Jornal Livre SC
- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Dezenas de manifestantes se reuniram na manha deste sábado, dia 7, na Praça Nereu Ramos, em Criciúma, para pedir Justiça para Mariana Ferrer, vítima de estupro em 2018. Ela teve o julgamento divulgado nessa semana e as cenas revoltaram milhões de pessoas no país. Isso porque o advogado de defesa do acusado proferiu ofensas à Mariana que repercutiram negativamente, gerando notas de repúdio de diversas entidades da sociedade civil organizada.

O protesto

Durante o protesto, os manifestantes trouxeram cartazes e faixas pedindo justiça e pedindo o fim da violência contra as mulheres. Dentre os cartazes, um deles trouxe os seguintes dizeres: “A Justiça tem cor, gênero e classe social”, visto que o homem absolvido é um empresário de Florianópolis bem sucedido financeiramente.

Outro cartaz dizia “Não deveríamos ter que implorar por respeito. #JustiçaPorTodasAsMulheres”. Uma grande faixa pedia o fim da impunidade. “Pelo fim da cultura do estupro”, trazem os dizeres da faixa.

Além disso, os manifestantes lembraram que a cada 11 segundos uma mulher é estuprada no Brasil. O grupo pediu a anulação do julgamento que absolveu o réu. Na sentença, o magistrado alegou falta de provas consistentes para condenação, mesmo com todos os laudos técnicos comprobatórios anexados ao processo.

Os manifestantes também pediram o afastamento do juiz e do procurador envolvidos no processo e a cassação da OAB do advogado que defendeu o réu.

Fotos concedidas pelo Jornal Livre SC

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.