Boletim Celesc: ocorrências climáticas no Vale e Alto Vale

No estado, são 190 equipes em campo trabalham para recuperar o sistema elétrico das cidades atingidas.

Foto: Divulgação / Celesc
- PUBLICIDADE -

A Celesc informa que devido às chuvas fortes, principalmente na regiões do Vale e Alto, aproximadamente 106 mil unidades consumidoras (UCs) estão sem energia neste momento. No estado, são 190 equipes em campo trabalham para recuperar o sistema elétrico das cidades atingidas.

Os municípios de Itajaí, Camboriú e Balneário, Blumenau, Rio do Sul e Mafra foram os mais atingidos. Neste momento estamos com as subestações Blumenau, Bairro da Velha e Camboriú desenergizadas. As Linhas de Transmissão (LTs) atingidas foram de Itajaí Itaipava-Camboriú, Rio do Sul II-Ibirama, Rio do Sul (rede básica circuito 2)-Rio do Sul II.

- PUBLICIDADE -

No Vale do Itajaí, no momento 64 mil UCs estão sem energia. Ao todo, 18 equipes estão nas ruas para recompor o sistema, sendo 14 de veículos leves na Unidade e 4 caminhões. Em Blumenau, são 20 equipes, seis delas usam veículos pesados para recompor o sistema.

A Celesc reforça o compromisso em atender a população com qualidade no fornecimento de energia, preservando principalmente a segurança do sistema elétrico e da população em geral, e destaca o cuidado que as pessoas devem ter, evitando qualquer contato com a rede de distribuição.

É importante registrar emergências na rede elétrica pelos canais oficiais de atendimento ao consumidor, o 0800 048 0196, o aplicativo da Celesc, disponível na App Store (http://bit.ly/appCelesciOS) e no Google Play (http://bit.ly/appCelescAndroid), pelo site celesc.com.br ou ainda enviando SMS para 48196 com a mensagem SEM LUZ e o número da sua unidade consumidora.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.