Balneário Rincão: laudo da Plataforma Sul ainda não está concluído

Estudo de segurança da estrutura ocorre desde o ano passado. Etapa pendente é verificar as sustentações submersas

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

Balneário Rincão

O estudo para verificar as condições da estrutura da Plataforma Sul, localizada em Balneário Rincão, ainda não foi concluído pelos peritos responsáveis. A maior parte do levantamento já foi realizada pela empresa terceirizada, contratada pelo Município em abril de 2019, mas falta a averiguação da área submersa para que o trabalho possa ser concluído. Somente após esse processo é que será emitido o laudo técnico de inspeção do local.

- PUBLICIDADE -

A perspectiva é que a última etapa do estudo ocorra ainda nos primeiros meses deste ano. “Continua faltando o mergulho, para fazer o vídeo da parte submersa. Acreditamos que em meados de março vamos conseguir fazer esse mergulho, que é a época que as águas estão mais claras, para facilitar a filmagem”, explica o engenheiro civil do Município, Manuel Vieira de Vargas.

O intuito da Prefeitura é identificar, de forma mais aprofundada, os problemas da plataforma e encontrar soluções para a construção, que está deteriorada. “Com isso, vamos tomar nossas conclusões. Vamos analisar e entender qual é o comportamento da estrutura, o que aconteceu com ela e vamos estudar o que fazer com ela, se vamos encaminhar para União… Então não temos definido ainda qual será o direcionamento”, ressalta o engenheiro.

Preocupação existe há anos

Os problemas estruturais da Plataforma Sul tem se agravado com o passar dos anos, principalmente após ela ser interditada em 2015. Na época, um laudo técnico identificou que 11 dos 14 pilares que sustentam o prédio na faixa de areia apresentavam deslocamentos preocupantes. Desde então, não foram mais realizadas intervenções na construção.

 

Porém, mesmo com o embargo, o local continua recebendo visitantes e curiosos. Contrariando as placas de advertência, pescadores sobem no prédio e percorrem a estrutura precária. Já os banhistas aproveitam a sombra para se abrigarem próximos aos pilares corroídos e com rachaduras profundas. É principalmente nesta época do ano, quando o município está mais movimentado, que aumentam esse tipo de flagrante no local.

Confira a reportagem completa na edição desta sexta-feira, 10, do jornal Tribuna de Notícias. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Balneário Rincão

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.