Araranguá: Estacionamento rotativo deve seguir com a prefeitura

Poder público faz boa avaliação do serviço na região central do município

22 monitores fiscalizam as vagas no trânsito (Foto: Arquivo/Lucas Colombo)
- PUBLICIDADE -

Desde o ano passado opera sob administração do poder municipal o estacionamento rotativo em Araranguá. Os recursos recebidos são destinados para a própria manutenção do serviço e o excedente para a sinalização de trânsito ou campanhas de conscientização. São aproximadamente 930 vagas na região central da cidade.

O estacionamento rotativo em Araranguá foi alvo de discussão no último trimestre do ano passado, quando encerrou o contrato de terceirização com a empresa vencedora de licitação em 2013. Por meio de alteração na legislação, e a consequente permissão para o município contratar pessoal para monitoramento, o serviço foi para a prefeitura.

- PUBLICIDADE -

Segundo o secretário de Planejamento, Indústria e Comércio do município, Francisco Diello, a perspectiva é de que o rotativo continue sob a alçada do poder público.  “Esse modelo foi muito bem aceito pela população, estamos administrando com muito menos crítica em razão da concessão que havia sido feita anteriormente”, justifica Diello.

“Na gestão do município, parece que está muito mais eficiente o trabalho. Está se fazendo de forma bem tranquila”, completa o secretário.

No entanto, o sistema do rotativo ainda é feito de forma manual; os motoristas que forem estacionar em uma das mais de 900 vagas na zona central devem comprar cartões e deixá-los no painel, à vista para os agentes fiscalizadores.

Monitores

O município contratou 22 pessoas para fazer esse serviço de fiscalização e também a venda de cartões. O diretor do departamento de trânsito de Araranguá, e coordenador do estacionamento rotativo, Sandro Xavier, recomenda que a compra dos cartões seja feita antes de estacionar, em um dos pontos de venda: lojas credenciadas pela CDL, tesouraria da prefeitura ou com os próprios monitores.

Estacionar por uma hora no centro de Araranguá tem o custo de R$ 1,20; cada veículo pode ocupar uma vaga pelo máximo de duas horas. “Após as duas horas é necessário mudar de vaga e podem-se usar mais duas horas e assim sucessivamente”, explica Xavier.

Multas

Se o motorista descumprir a legislação e for flagrado pelo monitor, tem que pagar R$ 6 em até cinco dias. Não cumprindo o prazo, é registrada a infração de trânsito no valor de R$ 195 e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

“O objetivo não é penalizar o cidadão, mas organizar o trânsito e democratizar as vagas. Precisa dessa infração para que o estacionamento rotativo não caia em descrédito e aqueles que utilizam e respeitam não sejam injustiçados”, conclui Xavier.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.