Agro É Tudo: Foco em produtos diferenciados

Agricultor de Turvo direciona o plantio para farinha branca e sementes pouco usuais na região. Comércio é feito em feira da região

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Turvo

- PUBLICIDADE -

O projeto Agro É Tudo fala sobre o agronegócio no Sul de Santa Catarina. Em um material especial, você acompanha, diariamente, aqui no portal tnsul.com todos os detalhes sobre as principais atividades, com dados e números que movimentam a economia da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e da Associação dos Municípios do Extremo Sul (Amesc).

O agronegócio é diversificado. Além dos plantios mais usuais, como arroz, fumo e frutas, alguns produtores focam em produtos diferenciados. É o caso de Sadir Miguel Tomasi. Aos 51 anos, o agricultor optou por plantar sementes pouco cultivadas na região. Milhos Brancos, de tipos diferentes, Cravo, Pururuca e Cateto estão na lista do turvense. Todas as sementes são orgânicas. Além delas, Sadir planta também feijão e abóbora.

Um dos destaques é o farináceo branco BR-015. “Eu peguei na Expointer, no Rio Grande do Sul, no ano passado, onde a Embrapa estava fazendo o lançamento. Essa semente que eu peguei deles foi um pouco na exposição e o restante na Cooperativa Familiar de Canguçu”, comenta Sadir.

O milho é direcionado para a produção de diversos alimentos e também para alimentação saudável, sem glúten e lactose. “Esse milho branco é bom mais para pão, bolo e bolacha. Serve também para os pães sem glúten, aqueles mais saudáveis. Ele é não é muito bom para fazer polenta, mas para outras comidas fica muito bom”, enfatiza.

Na microrregião de Araranguá, que compreende Balneário Gaivota, Ermo, Jacinto Machado, Maracajá, Meleiro, Morro Grande, Passo de Torres, Praia Grande, Santa Rosa do Sul, São João do Sul, Sombrio, Timbé do Sul e Turvo, além de Araranguá, são plantados, anualmente, mais de oito mil hectares de milho, em primeira e segunda safra, o que dá mais de 57 mil toneladas e um rendimento médio de 6.785 quilos por hectare.

Entretanto, neste ano, Sadir colheu uma quantidade baixa de milho branco, devido à estiagem. “Ficou só para meu consumo, para venda não deu, pois o tempo não ajudou. No ano que vem, será melhor”, comenta.

Tipos direcionados para certas receitas

Além do BR-015, Sadir também investe em outro tipo de milho branco. “Ele é diferente: foi desenvolvido só para fazer farinha mesmo. Se usa também para bolo, pão e bolacha: meus irmãos já fizeram e estão aprovados”, pontua.

O milho Cravo é a semente oficial do Tombo da Polenta, tradicional ato realizado em Urussanga, durante a Vindima Goethe. O produtor planta a mesma semente utilizada no evento. “Dá farinha com uma liga boa. É o milho que se faz a polenta de Urussanga”, comenta.

Mais dois tipos de milhos são plantados pelo turvense. Um deles é o Pururuca. “Eu peguei no Rio Grande do Sul também, não é lançamento, mas eu trouxe pela primeira vez. Tem também o milho tradicional, mais comum, aquele antigo”, destaca Sadir.

Não menos importante é o milho Cateto, também originário do Estado vizinho. “Eu pego os saquinhos e pago bem barato. São todos da agricultura familiar, daí eu trago para cá e cultivo para vender. Eles cedem, mas, nesse ano, a seca me pegou e rendeu pouco”, pontua.

Comércio através do incentivo local

Os principais clientes de Sadir são os frequentadores da Feira da Agricultura Familiar, mas ele também recebe os interessados nos grãos e farinhas em casa, na região central de Turvo. “Eu vendo para o consumidor final: lá na feira e em casa. Na feira faz dois anos que eu estou, mas a minha maior venda é aqui na minha residência mesmo. O pessoal bate na porta e eu vendo aqui mesmo”, diz.

A aceitação do produto é tida como positiva. Além disso, a organização estimula a compra do comércio local. “A minha qualidade de farinha é muito boa e a aceitação é excelente. A feira acontece às quartas-feiras. Agora, tem o kit reciclagem, como funciona: leva lixo reciclável e troca na feira. É uma forma de estimular a reciclagem. Esse projeto foi lançado agora em junho”, pontua.

A venda, em média, por semana é de 15 quilos de farinha. O processo de moedura acontece em Timbé do Sul. “Vem peneirado para eu embalar em casa. Eu tenho as embalagens e a seladora. É melhor fazer em casa, pois baixa o meu custo. Eu vou até lá uma vez por mês. Depende do movimento, acaba variando”, explica.

O valor final de venda é um pouco maior que as demais farinhas, mas a qualidade explica o preço. “Tem o pessoal que reclama do preço, mas aqui é orgânico, de casa. Eu planto em uns três mil metros quadrados, aqui nos fundos, e já fiz adubação verde para a aveia preta”, explica.

O negócio está expandindo cada vez mais, para a felicidade do produtor. “Lá por outubro ou novembro já tem milho, depende do tempo. Comecei devagarinho, mas aumentou”, finaliza.

 

A produção por cidade*

Cidade                 Área Atual Plant (ha)     Qtde Anual Prod (t)        Rend Médio Atual (kg/ha)

Araranguá          8.450                                  57.023,01                          6.748,29

Bal. Gaivota       72                                        388,80                                5.400

Ermo                    416                                      2.306,71                            5.544,98

Jacinto Mac.      1.010                                  8.627,77                            8.542,35

Maracajá            370                                      2.220                                  6.000

Meleiro               672                                      4.295,40                            6.391,96

Morro Grande   400                                      2.876,80                            7.192,00

Passo de Torres 35                                       210                                      6.000

Praia Grande     240                                      1.440                                  6.000

Sta. Rosa do Sul 300                                    1.785                                  5.950

São João do Sul  770                                    4.599,97                            5.973,99

Sombrio              1.303                                  7.941,08                            6.094,46

Timbé do Sul     797                                      4.924,61                            6.178,93

Turvo                   1.214                                  10.159,34                          8.368,48

*Fonte: Epagri/CEPA

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.