Um pacotão de jogadores para voltar à Série B

Fernando Lombardi, Helder, Marino e Felipe Menezes são apresentados no Criciúma para encorpar o elenco e dar mais qualidade ao time de Itamar Schulle. É a última grande cartada da diretoria para o acesso

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Eles chegam para jogar. Apresentados oficialmente ontem, os quatro novos reforços do Criciúma têm status de titularidade no time treinado por Itamar Schulle. Os zagueiros Fernando Lombardi e Helder, o volante Marino e o meia Felipe Menezes chegam para dar mais experiência e aumentar a qualidade do Tigre. Eles terão sete jogos para ajudar a garantir o time nas quartas de final da Série C e manter vivo o sonho do acesso.

Os quatro devem ser titulares contra o São Bento, pois estavam em atividade nos antigos clubes e dependem apenas do registro no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Todos eles têm mais de 30 anos, o que dará uma experiência maior ao time na reta final da primeira fase.

Marino e Hélder chegaram na última semana e já treinavam com o elenco. Eles foram atletas de Schulle quando o treinador estava no Cuiabá. O volante é considerado um homem de confiança de Itamar. “Em 2018, eu recebi o convite para jogar pelo Cuiabá e o clube também estava na Série C. Fazia sete anos que a gente brigava para não cair. Conseguimos fazer um grupo bom, forte e a gente conseguiu o objetivo: acesso e o vice-campeonato na Série C”, diz Marino.

O zagueiro também foi um pedido do treinador do Criciúma. Ele espera repetir as boas campanhas que fizeram enquanto estavam no Mato Grosso. “O Itamar foi um cara muito vitorioso lá. Teve acesso, título invicto. Pela total experiência que ele tem, o que a gente pode trazer do Cuiabá são as vitórias, os acessos e as brigas pelo título”, comentou o zagueiro.

O tão esperado meia para o Criciúma

Felipe Menezes chega para suprir uma necessidade antiga do Tigre. Há muito tempo, o clube busca no mercado um meia armador. O jogador estava desde 2018 no CRB, onde fez 48 jogos e três gols. “Eu posso ajudar o time e jogo mais próximo da área ofensiva. Eu gosto de finalizar de longa e média distância, além de servir os companheiros”, diz .“Na realidade, eu tento agregar as duas funções. Se puder dar assistências e também fazer gols acho que vai ser importante para contribuir com o clube”, completa.

Aos 38 anos, Fernando Lombardi aposta na experiência para ajudar o Criciúma a conquistar o acesso. O zagueiro vem do Náutico, onde fez 17 jogos na temporada. Ele já atuou em diversas equipes do Brasil, mesmo assim garante ter objetivos no Tigre. “Tenho certeza que, um apoiando o outro, a gente vai fazer um bom trabalho para levar o time para a Série B novamente. Não adianta julgar um jogador pela idade, tem que ser pelo o que ele faz dentro de campo. É a minha opinião. Sou muito tranquilo quanto a isso venho para ajudar e vou fazer isso assim como todos os companheiros estão chegando e no fim vamos voltar para a Série B”, comenta.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.