- Publicidade -
Tigre: União para buscar a classificação e o acesso
Há 3 semanas

Tigre: União para buscar a classificação e o acesso

Oficializado como novo técnico do Criciúma, Itamar Schülle quer construir um bom ambiente no clube para chegar ao principal objetivo do ano: o acesso à Série B

- Publicidade -

Tiago Monte

Criciúma

União e trabalho. Muito trabalho. Essas são as propostas de Itamar Schülle no comando do Criciúma. Oficializado na tarde de ontem no cargo, o treinador foi apresentado em entrevista coletiva na Sala de Imprensa Clésio Búrigo no estadio Heriberto Hülse. O novo comandante prega a construção de um bom ambiente de trabalho para atingir os objetivos da temporada: primeiramente a classificação às quartas de final da Série C e, depois, o acesso à Segunda Divisão em 2021. “Cada treinador tem um pensamento, mas o bom ambiente de trabalho é fundamental. Independente do momento que você vive. Não importa se é líder ou está lá embaixo e com salários atrasados. Nós treinadores somos responsáveis para ajudar nesse processo”, comenta Schülle.

Em comparação com a primeira passagem dele pelo clube, entre 2009 e 2010, Itamar vê um Criciúma mais bem preparado e organizado para chegar longe nas competições.“O clube cresceu. Faz 10 anos que sai daqui e não vi um momento pior do clube. Eu assumi após perder por 4 a 1 aqui para o Marcilio Dias, em casa, e precisava vencer em Itajai. Vencemos com gol do Gleidson, de perna esquerda, sendo que ele nunca tinha chutado uma bola com essa perna. Depois ganhamos do Brasil revelando jovens da base. Todos juntos conseguimos isso. Não foi o Itamar. Poucas pessoas lembram porque não é um título, mas o peso é igual. Naquela época uns 30 ou 40 treinadores devem ter sido convidados e ninguém quis assumir”, relembra Itamar.

- Publicidade -

Após muitas experiências, em diversos times como ABC, Vila Nova, Cuiabá e Santa Cruz, o treinador se considera pronto para atingir os objetivos do Criciúma. “Em seis anos, eu participei de sete finais e consegui quatro títulos e um acesso. É um trabalho de uma comissão e vão fazer parte a direção e os atletas”, diz. Itamar faz questão de valorizar o trabalho que será realizado. “Eu gosto de trabalhar juntos e dividindo responsabilidades. Eu valorizo todos: os atletas, quem corta a grama, quem limpa as bolas e quem faz a comida. O trabalho é fundamental para conquistar algo. Eu, particularmente, não acredito em sorte. Creio em trabalho e dedicação. A gente sempre pode fazer mais”, diz.

Decisão difícil e doída

Antes da apresentação de Itamar, o presidente Jaime Dal Farra falou sobre o desligamento de Roberto Cavalo e da comissão técnica anterior. O mandatário do Tigre falou em decisão difícil e doída. “Foi uma decisão extremamente difícil e doida porque são todos amigos e idolos nossos. Quero agradecer, em publico, o trabalho deles. Pessoas de caráter e índoles acima de tudo. Só tenho elogios a eles. Infelizmente são decisões que temos que tomar e entendemos assim com a diretoria que tínhamos que mudar”, comenta.

A nova comissão técnica do Tigre

Itamar Schülle, técnico

Carlos Alberto Bedin, o Gamarra, preparador físico – Trabalha com Itamar desde 2004

Francisco Sales, auxiliar e analista de desempenho individual – natural de João Pessoa (PB)

Lucas Isoton, auxiliar e ex-treinador do Juventude, campeão gaucho de base.  Trabalha com Itamar há seis anos

- Publicidade -

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.