Florianópolis: Está valendo a disputa de surfe virtual

Organização libera o Surf Talentos Oceano Virtual durante todo o período reservado à janela de ação, que começa nesta sexta-feira

- PUBLICIDADE -

Florianópolis

A partir desta sexta-feira, dia 19, começa oficialmente o Surf Talentos Oceano Virtual, valendo pontos para os rankings dos circuitos Surf Talentos Oceano (6.000 pts) e Fecasurf Amador 2020 (3.000 pts). Os atletas poderão surfar integralmente durante os 20 dias reservados para a janela do evento, e registrarem as performances em vídeo para competição virtual.

- PUBLICIDADE -

Na sequência deverão enviar para a organização as oito melhores ondas registradas, que serão avaliadas pelo quadro técnico da Federação Catarinense de Surf (Fecasurf). “Liberar todos os 20 dias reservados para a disputa, proporcionará aos atletas tempo hábil para buscarem as melhores condições em suas regiões, além de igualar a chance para todos” revelou Renato Melo, presidente da Fecasurf.

As inscrições encerraram-se nesta quinta-feira, 18 de junho. Até o momento, atletas do Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte, Paraíba, São Paulo, Paraná, além de Santa Catarina compõem o mosaico de estados brasileiros presentes nessa etapa histórica do circuito.

Regressiva para o início da etapa

Alguns atletas, técnicos e organizadores estão com a expectativa em alta, há menos de 48 horas para o sinal verde que abrirá o campeonato.“Será uma nova experiência participar dessa etapa, e poder defender a liderança do ranking na minha categoria. Estou todos os dias na água buscando evoluir o meu surfe. Competir nesse evento virtual, com uma janela de espera, me motiva ainda mais a manter o ritmo de treinamento em busca de bons resultados”, comenta a atleta catarinense Maya Carpinelli, que pertence à categoria Sub-14 Feminina e foi a campeã da primeira etapa do Circuito Surf Talentos, realizada em São Francisco do Sulno início do ano.

O pai e técnico de Maya, Carlos Carpinelli, elogia a diversidade de formatos dos eventos. “A realização de eventos amadores com formatos variados ajuda a diminuir o risco dos atletas perderem o interesse em completarem sua graduação, justamente nessa fase importante de formação em suas carreiras”, diz.

Movimentação nas redes sociais

Por ser um campeonato virtual, essencialmente as redes sociais estarão inseridas na disputa. “Será um campeonato diferente, muito disputado e com certeza movimentará as redes sociais. É uma maneira inteligente para os atletas retomarem o ritmo de competição após essa pausa forçada. Darei o meu melhor nesses 20 dias de disputa, sempre atrás das condições perfeitas e nos lugares certos”, pontua o atleta Sub-16 Masculino, Kayke Araújo, que é baiano, mas está radicado em Santa Catarina.

O vice-presidente da Fecasurf acredita que o projeto se tornará vanguarda no esporte. “Por ser um evento pioneiro e complexo em sua realização, é um terreno inexplorado por todos os profissionais envolvidos nesse projeto de vanguarda desenvolvido em Santa Catarina”, opina Jordão Bailo Junior.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.