Criciúma: Mais qualidade no triathlon do Mampituba

Júlia Quarezemin e Luiza Mazon começaram a treinar no clube criciumense, há cerca de 30 dias, e fortalecerão a equipe feminina

- PUBLICIDADE -

Criciúma

O triathlon da Sociedade Recreativa Mampituba ganhou dois grandes reforços femininos. As atletas Luiza Mazon Freitas, de 21 anos, e Júlia Quarezemin, de 22, começaram a treinar no clube, há aproximadamente 30 dias, e já se preparam para um desafio: participar do Circuito Nacional do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC). As novas triatletas do Mampituba/FME Criciúma fazem parte do projeto de formação de atletas que o Clube mantém por meio de convênio, através de editais, com o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC).

- PUBLICIDADE -

A atividade física sempre fez parte da vida de Luiza Mazon Freitas que, desde muito nova, foi influenciada e apoiada por sua família. Ainda aos cinco anos de idade, ela iniciou as aulas de natação no Mampi. Sete anos depois, ainda no Clube, a atleta migrou para as quadras de tênis, modalidade na qual conquistou pódios em diversas competições. “Para poder ingressar na graduação de Ciências e Tecnologia de Alimentos da UFSC, em Florianópolis, optei por deixar a competição no tênis. Entretanto, a atividade física sempre fez parte da minha rotina. O tênis, que antes era quase profissão, passou a ser lazer junto ao beach tennis e a corrida de rua”, explicou.

Aos 21 anos e com sonho de alcançar objetivos ainda maiores no esporte, Luiza resolveu apostar no triathlon. Por conhecer o trabalho desenvolvido pelo professor Tiago Marcelino Gomes, a nova triatleta escolheu ingressar na equipe do Mampituba. “Estou retornando ao clube que abrigou a minha formação como atleta, mas dessa vez na equipe de triathlon, o que me dá incentivo e estrutura para representar o Mampi no Circuito Nacional que, se o cenário melhorar, ocorrerá no segundo semestre de 2020”, disse. “As coincidências da vida são tantas, que me levaram a retornar a representar a FME Criciúma, me dando potencial para ser uma das poucas atletas catarinenses a jogar o JASC em duas modalidades diferentes”, completou.

Uma amante dos esportes

Assim como Luiza, Júlia Quarezemin também sempre amou esportes. Desde muito nova foi incentivada pela avó a praticar as mais diversas modalidades e, ainda criança, costumava participar de competições de natação.  Anos depois ela descobriu sua maior paixão: a corrida. “Eu vinha participando de competições de corrida até então. No início do ano comecei a pensar na possibilidade de me desafiar mais e iniciar uma nova modalidade. Com a chegada da pandemia, comprei uma bicicleta e nada mais justo começar a treinar os três esportes juntos!”, contou.

Foi então que, em conversas com a amiga Luiza, surgiu a proposta de treinar e competir representando o Mampituba/FME Criciúma. “E o meu/nosso sonho começou a se tornar realidade! Passaram o contato do Tiago e ela foi conversar com ele sobre a nossa vontade de fazer o triathlon. Dois dias depois, já estávamos juntas treinando com ele”, lembrou.

Júlia descreveu como incrível a experiência de treinar no Mampi e não poupou elogios a estrutura do Clube. “Piscina sempre na temperatura ideal, pista de corrida perfeita, academia em ótimo estado, espaço grande para poder andar de bicicleta! Os funcionários sempre dispostos, atenciosos e seguindo as normas de recomendação contra o Covid. E o Tiago é um treinador nato, presente em todos os momentos, sempre dando dicas, recomendações e fazendo os melhores treinos. O Mampituba só está me trazendo felicidades”, concluiu.

Rotina intensa de treinos

Segundo o treinador Tiago Marcelino Gomes, as meninas já cumprem uma rotina muito próxima de uma triatleta profissional treinando até três períodos diariamente. “As atletas já têm a capacidade física bem desenvolvida o que permite trabalharmos com bastante qualidade. Vamos aproveitar enquanto não tem competições para melhorá-las técnica e fisicamente. Quem sabe estamos descobrindo novas triatletas para o cenário nacional”, destacou.

A equipe de Triathlon Mampituba/FME Criciúma vem se destacando cada vez mais em Santa Catarina, sendo a maior equipe do Sul do Estado na modalidade. Hoje, nas categorias menores, já são 25 crianças de 10 a 17 anos que participam do projeto ligado a CBC. Já sócios praticantes somam 12 atletas que participam do Circuito Catarinense de Triathlon e provas de longa distância como IronMan.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.