Cavalo garante o Tigre na Série C

Campanha do treinador na competição deste ano foi decisiva para que o Criciúma permanecesse na Terceira Divisão de 2021

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Não fossem os nove jogos e 44% de aproveitamento com o técnico Roberto Cavalo, o Criciúma teria sido rebaixado para a Série D do Brasileirão. Isso porque sob o comando de Itamar Schulle foram módicos 25% de aproveitamento, um percentual de time rebaixado. No total, o Criciúma fez 19 pontos. O primeiro clube a cair, no grupo B, foi o São Bento com 17 pontos e 31% de aproveitamento.

Com Cavalo foram três vitórias, três empates e três derrotas. O treinador ficou no clube desde o começo da Série C até a nona rodada, quando perdeu para o Tombense, fora de casa, por 3 a 1. Após a derrota para o Ypiranga, em Erechim, e para o Tombense, em Minas Gerais, o técnico chegou a ter o nome hostilizado por parte da torcida carvoeira, que não estava satisfeita com o desempenho naquele período. Um grupo de torcedores chegou a queimar uma bandeira com a foto de Cavalo, um dos maiores ídolos da história do clube.

Schulle estreou vencendo o Londrina por 2 a 1 no Majestoso. E foi a única vitória dele no comando do Tigre. Desde o dia 11 de outubro, a equipe não soube mais o que é vencer. Foram oito jogos a seguir: quatro empates (Ypiranga e Brusque, ambos em casa, e Volta Redonda e São Bento, fora) e quatro derrotas (Tombense e Ituano, no Heriberto Hülse, Boa Esporte e São José, longe de casa).

A equipe só se salvou na última rodada, quando ficou no 2 a 2 com o Brusque, mas foi favorecida pela derrota do São Bento para o Ituano por 3 a 0. Desta forma, o Criciúma encerra o ano com um jejum de quase dois meses sem saber o que é vencer um jogo.

Média baixa de gols feitos

O ataque carvoeiro foi ineficiente na Série C deste ano. Em 18 rodadas, o Tigre marcou 20 gols, média de 1,1 gol por partida. Michel, que jogou 15 vezes na competição, foi o artilheiro e balançou as redes cinco vezes.

A defesa acabou sendo bastante vazada. Foram 25 gols sofridos em 18 jogos disputados. A média fica em 1,3 gol por jogo.

Os números da temporada

O Criciúma disputou 32 jogos em 2020, mas o retrospecto foi abaixo do esperado. O ano encerrou com nove vitórias, 12 empates e 11 derrotas. O Tigre marcou 32 gols e sofreu 39, aproveitamento de 40,6%.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.