A pior partida do Tigre na Série C

Roberto Cavalo admite que, diante do Ypiranga, o Criciúma não teve um bom desempenho e precisa melhorar muito para o jogo de sexta

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Erechim (RS)

- PUBLICIDADE -

O pior jogo do Tricolor Carvoeiro na Série C deste ano. Essa foi a avaliação do técnico Roberto Cavalo, após o confronto de ontem, contra o Ypiranga, fora de casa. O treinador admite que o time esteve muito abaixo do esperado, mas não faltou vontade aos jogadores. “Nós esperávamos um melhor rendimento individual de cada um. Não faltou vontade, mas o Ypiranga estava empolgado, acostumado com o sistema de jogo e o gramado, nos pressionou, trabalhou bem a bola e mereceu resultado, conforme nós jogamos. A nossa pior partida na Série C foi essa”, enfatiza Cavalo.

Assim como o treinador, o auxiliar-técnico, Wilsão, admite que o time esteve mal e culpa o gramado do estádio Colosso da Lagoa pelo fraco desempenho do Tigre. “Nós tivemos dificuldades. Conversamos com os atletas, em relação ao gramado, principalmente. Reconhecemos que foi um jogo bem abaixo daquilo que a gente esperava, o pior até agora. Enfrentamos uma equipe bem equilibrada e acostumada a treinar em um gramado destes. Tanto é que chutamos pouco a gol e não tivemos a eficiência que era esperada por todos nós”, diz.

As ausências de Foguinho e Victor Guilherme foram sentidas pela equipe que pouco criou pelos lados do campo. “Pelo lado direito, o Victor está muito bem, principalmente do meio para frente, e tivemos poucas jogadas pelos lados. Os dois fizeram muita falta”, pontua Cavalo. Com apenas dois pontos conquistados, nos últimos nove disputados, o treinador se mostra preocupado com a queda de rendimento do time. “Eu, o torcedor do Criciúma, a diretoria, os jogadores e toda a comissão técnica ficamos preocupados. Nós queremos estar sempre no G-4. Pela primeira vez ficamos fora, mas o campeonato é longo e temos muito a melhorar para buscar a pontuação necessária para voltarmos ao G-4”, comenta.

Sem ligar para pedidos de demissão

Após o jogo, uma parte da torcida do Criciúma tomou conta das redes sociais pedindo a demissão do técnico Roberto Cavalo, devido ao mau desempenho do time em campo. Cavalo diz não acessar as redes sociais e não toma conhecimento das manifestações. “Eu não trabalho com rede social. Não olho. Não vejo. Eu trabalho em campo e estou fazendo o meu melhor para o Criciúma”, pontua Cavalo.

A derrota de ontem aumentou a pressão por uma vitória contra o São José (RS) na sexta-feira. “Com certeza. Somos obrigados a vencer, até porque a tabela diz isso. Não pontuamos hoje fora e fica na obrigação de vencer o São José, dentro de casa, que também vai ser muito difícil”, finaliza o treinador.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.