Sul encaminha comissão para buscar subsídio ao carvão nas termelétricas

Grupo foi criado após reunião entre governador Carlos Moisés e prefeitos do Sul; Engie quer vender o Complexo Termelétrico Jorge Lacerda

Se não houver comprador, Complexo poderá ser desativado em 2025 (Foto: Arquivo/Divulgação)

- PUBLICIDADE -

A reunião entre o governador Carlos Moisés, os prefeitos do Sul catarinense e lideranças empresariais encaminhou a criação de um grupo de trabalho entre a classe política e do setor carbonífero para tentar reverter a possibilidade de fechamento do Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo. A ideia do governo estadual é agregar forças com o federal para manter as usinas em funcionamento.

De acordo com o prefeito eleito de Capivari de Baixo, Vicente Corrêa Costa, a comissão pretende sensibilizar o governo federal a ampliar o subsídio do carvão mineral. A solução projetada é encontrar um comprador para o Complexo Termelétrico.

- PUBLICIDADE -

Possibilidades

A possibilidade de desativação dos geradores pela Engie, empresa privada que administra o Complexo, foi levantada na semana retrasada, em acordo com a política energética da multinacional.

Para evitar a desativação, a Engie apresentou outras duas possibilidades: entrega do Complexo ao governo federal ou estadual, ou a venda para outra empresa.

Na avaliação de Costa, somente com a ampliação do subsídio ao carvão, com prazo final em 2027, será possível encontrar uma compradora para o Jorge Lacerda. A sinalização dos deputados federais é para um projeto de ampliação da Conta do Desenvolvimento Energético (CDE), a política de estímulo ao uso do carvão, até 2035.

A matéria completa você confere no Jornal Tribuna de Notícias desta terça-feira, 15 de dezembro

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.