Família Salviato: pioneira do setor calçadista em Morro da Fumaça

Sapataria atuou de 1936 até 1999 no município, com primeira loja no distrito de Estação Cocal

- PUBLICIDADE -

Nascido em 1907, João Salviato é um dos nomes marcantes da história do município de Morro da Fumaça, que celebrou mais um ano de emancipação ontem, dia 20.

Conhecido por consertar e fabricar sapatos, de todos os tipos, ele morreu antes mesmo da elevação do distrito ao título de município. Porém, as memórias estão presentes na vida das pessoas e sua trajetória ainda marca e emociona aqueles que fazem parte da família do mais antigo sapateiro e proprietário da sapataria do território fumacense.

- PUBLICIDADE -

Segundo uma das filhas de João e Maria Salviato, Zoraide Salviato de Costa , o pai começou a trabalhar desde cedo no ramo. “Meu pai encontrou sua vocação com o Adão Bosa, que trabalhava em Cocal do Sul na produção e conserto de sapatos. Logo ele casou com minha mãe Maria Darolt Possamai e continuou as atividades, até o ano de 1962, quando faleceu”.

Salviato sempre foi referência em calçados. “Ele comprava couro em Criciúma e Novo Hamburgo, produzia os sapatos. Vinha gente de todos os cantos procurar o serviço dele”, conta Zoraide orgulhosa.

Segundo a filha, em 1936, foi fundada a Sapataria Salviato. “Esse foi o ano da criação da nossa sapataria, ano de nascimento da minha irmã. Eu nasci anos depois e fui criada dentro da loja, ajudando desde cedo meus pais. Sempre atendemos no distrito de Morro da Fumaça .

Com o falecimento do pai, em 1962, Zoraide relata que a história foi continuada pela mãe. “Minha mãe atuou na sapataria até falecer, depois eu continuei na loja, mas, depois eu acabei casando e a sapataria continuou suas atividades pelas mãos do meu irmão, o João Luiz Salviato, que morreu em 1989. Nossa história findou por volta de 1999, quando minha cunhada, a Rosemary Pagnan, esposa do João, encerrou definitivamente as atividades”.

Segundo Zoraide, olhar para o passado e ver o presente é muito emocionante. “Meu pai, além de ser o primeiro sapateiro e de ter montado a primeira sapataria, lutou pela criação do município. Infelizmente, ele não viu isso se concretizar, porém, é gratificante saber que o desenvolvimento da cidade passou pelas mãos da nossa família”.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Eduardo Souza
Em: Morro da Fumaça

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.