Estadual: Governo e entidades discutem fortalecimento do mercado GNV

O objetivo é ampliar o mercado no Estado, que já é o terceiro do país e atende mais de 106 mil usuários com a oferta do produto em 50 cidades catarinenses através de 133 revendas

Diretor Técnico e Comercial da SCGÁS, Carlos Ferro, apresenta dados sobre o mercado de GNV em Santa Catarina. Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -
Na tarde desta sexta-feira, dia 15, reuniram-se na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável entidades que compõe a cadeia do Gás Natural Veicular (GNV) em Santa Catarina. Além da SCGÁS, participaram Badesc, Imetro/SC, Procon, Assosciação dos Organismos de Inspeção Veicular, Sindicato dos Postos de Combustíveis e Sindicato de Oficinas Convertedoras.
A pauta do encontro era o mercado de GNV e os desafios impostos pela pandemia. A SCGÁS mostrou dados sobre o volume de consumo em Santa Catarina, que vinha crescendo nos últimos quatro anos. Entretanto, igualmente aos demais setores e serviços, a crise afetou o mercado de GNV, que teve queda no consumo em março e abril com o avanço da pandemia.
A notícia boa é que maio já mostra leve reação e há uma projeção de queda de quase 30% na tarifa praticada aos postos no próximo reajuste, em julho. As entidades compreenderam que a tarifa catarinense é bem posicionada no cenário nacional: deverá ser a menor do país com a queda prevista para o segundo semestre, considerando que hoje já é a terceira menor entre as demais distribuidoras do Brasil.
Foi criado um grupo de trabalho para manter a aproximação e o diálogo entre os agentes com ações de incentivo ao setor, como a possível criação de linhas de crédito para aquisição de kit GNV nos veículos leves. O objetivo é ampliar o mercado de GNV no Estado, que já é o terceiro do país e atende mais de 106 mil usuários com a oferta do produto em 50 cidades catarinenses através de 133 revendas.
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.