Estadual: Consumo de energia em SC caiu 11,3% em maio

Maior redução foi registrada no setor industrial, com queda de -18,6%. Consumo nas residências subiu 3,4%

Foto: Julio Cavalheiro Secom
- PUBLICIDADE -

De acordo com a Celesc, o consumo de energia elétrica em Santa Catarina caiu -11,3% em maio na comparação com o mesmo período do ano passado. A maior queda foi registrada na classe Industrial – maior consumidora de energia elétrica – que teve uma redução de -18,6%. Outra queda importante foi registrada na classe comercial: -17,3%.

Diferente do que foi observado nas empresas, a classe residencial registrou alta no consumo em maio, de 3,4%. Apesar do crescimento, a alta não foi tão acentuada em termos de pontos percentuais como em abril, quando o setor registrou um aumento no consumo de 14%.

- PUBLICIDADE -

O mesmo aconteceu com as classes industrial: a redução em abril foi de -22%, que impulsionou a queda no consumo geral para -20%. Já o setor comercial registrou o movimento inverso, com uma queda menos acentuada no mês anterior (-15%).

De acordo com a Celesc, isso acontece porque em abril as medidas de isolamento social estavam mais restritivas, e aos poucos, as pessoas estão retomando suas atividades fora de casa.

Inadimplência

A Companhia também registrou alta de 17% na inadimplência em maio na comparação com o ano passado. Segundo a Celesc, o aumento é reflexo da medida anunciada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que proíbe os cortes no fornecimento de energia por falta de pagamento até 31 de julho.

Em Santa Catarina, o aumento da inadimplência nos setores residencial e comercial, juntos, chega a 30%. Já no mercado livre de fornecimento, o número de clientes que deixaram de quitar as faturas de energia elétrica aumentou 412%.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.