Criciúma: Procon fiscaliza preços de álcool e máscaras

As fiscalizações iniciaram na manhã desta terça-feira (17) e irá abranger cerca de 80 locais que terão um prazo de 48h para a entrega das notas fiscais.

Foto-Maria-Henrique-Leandro
- PUBLICIDADE -

Devido ao novo coronavírus (Covid 19), o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Criciúma tem recebido denúncias de preços abusivos na venda de álcool gel e máscaras descartáveis. Alguns consumidores que antes adquiriam determinado produto por menos de R$ 6, agora passam a pagar R$ 16. Por isso, um auto de constatação está sendo solicitado em todos os estabelecimentos que comercializam álcool gel e máscaras descartáveis. Todos eles devem constar notas fiscais de compra e venda do mês de dezembro, janeiro, fevereiro e março.

As fiscalizações iniciaram na manhã desta terça-feira (17) e irá abranger cerca de 80 locais que terão um prazo de 48h para a entrega das notas fiscais. Depois disso, o setor Jurídico do Procon estará analisando se o aumento do preço foi por parte do fornecedor. Caso a iniciativa tenha partido do próprio estabelecimento, este deverá se justificar. A Polícia Civil de Criciúma, através do delegado Vitor Bianco Júnior é parceira do Procon nesta ação. Assim que for constatado uma elevação de preço e este for caracterizado como abusivo, será encaminhado um relatório para a realização de investigação criminal.

- PUBLICIDADE -

O coordenador do Procon de Criciúma, Gustavo Colle, deixa claro que todos estão trabalhando no intuito de serem justos, tendo em vista que muitos estabelecimentos alegam que o repasse vem de distribuidores. “É inadmissível que as pessoas estejam se beneficiando de uma tragédia mundial para ter lucro. Isso o Procon não admite e nós aplicaremos sanções severas”, ressaltou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.