Aumenta o número de admissões no Sul do Estado

Criciúma e Içara lideram o número de contratações, no mês de agosto, e números têm os melhores desempenhos desde o início da pandemia

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O Ministério da Economia divulgou ontem, dia 30, os dados referentes a maio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) e eles mostram uma aceleração no número de contratações na Região Carbonífera em relação ao mês anterior. O número de contratações também aumentou na maioria dos municípios que compõem a Região Carbonífera e do Extremo Sul Catarinense.

Em Criciúma, o saldo é positivo. Foram 535 admissões a mais em relação aos desligamentos. O crescimento também é visto em Içara com 383 contratados a mais, durante o mês de agosto. “Felizmente, aquilo que a gente vem falando, sobre a retomada da economia, vem acontecendo com relação aos empregos. Então, esses empregos novos na Amrec, sendo 535 em Criciúma, é um alento muito grande de que os próximos meses serão melhores ainda”, comenta o presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin.

A retomada vem acontecendo, principalmente, na indústria. A expectativa é que os demais setores concluam o ano também com números animadores. “É importante para a região essa retomada de empregos, que está acontecendo, principalmente na indústria, de uma forma geral, mas ainda esperamos que outros setores, que estão parados, retomem o mais rapidamente possível, para que a economia comece a voltar ao normal em todos os setores”, destaca Dagostin.

Final de ano com margem positiva

O presidente da Acic acredita que o cenário de admissões e desemprego não será catastrófico como parecia no início da pandemia do coronavírus. “Nós não temos dúvida nenhuma de que será positivo (o final de ano). Nós conseguiremos melhorar bastante os números daquela catástrofe prevista. Nós vamos conseguir amenizar bastante. Ainda temos 1000 empregos para recuperar. Então, vamos buscar recuperar nos últimos quatro meses do ano”, pontua Dagostin.

A opinião do presidente é embasada pelos números de ofertas de empregos no banco de dados da Acic. “É possível recuperar. Pelo banco de dados de talentos da Acic. Nós tivemos, em setembro, mais de mil ofertas de empregos no nosso banco. Então, em função dessas ofertas que temos, desse termômetro, nós acreditamos que fecharemos o ano com números positivos”, finaliza.

Nos dados do Novo Caged, divulgados ontem, a Amrec e a Amesc tiveram, juntas, um saldo positivo de 1.571 admissões no mês de agosto. Foram 7.289 contratados e 5.718 demitidos. No acumulado do ano, entre janeiro e agosto, as duas regiões apresentam um acumulado de 612 demissões – levando em consideração o número de profissionais contratados e desligados em 2020.

Dados positivos em Santa Catarina e no Brasil

Em Santa Catarina, o mês de agosto teve um saldo positivo de 18.375 admissões. Porém, o acumulado do ano ainda é negativo em 22.494 demissões. No total de 2020 são 628.781 contratações e 651.275 desligamentos.

O Brasil abriu 249.388 vagas de emprego com carteira assinada em agosto. É o segundo mês seguido de saldo positivo, depois dos mais de 131 mil postos de trabalho formais criados em julho. O balanço é resultado de 1.239.478 contratações e 990.090 demissões registradas no mês.

Com isso, o estoque de empregos formais no Brasil chegou a 37.960.236. Os números de agosto também ficaram acima do registrado no mesmo mês de 2019, quando foram criadas 121.387 vagas formais. Em 2020, porém, o saldo ainda é negativo: nos oito primeiros meses do ano, foram perdidos 849.387 empregos.

Os cinco setores de atividade econômica tiveram saldo positivo em agosto. Impulsionado pela Indústria de Transformação, o setor econômico da Indústria liderou a geração de empregos formais no Brasil, com saldo positivo de 92.893 empregos com carteira assinada. Depois, vieram os setores de Construção, com 50.489, e Comércio, que registrou 49.408 novas vagas. Completam a lista os Serviços (45.412) e a Agropecuária (11.213).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.