Amrec melhora no saldo de empregos

Em setembro, 12 municípios contabilizaram 1.396 novos postos de trabalho com carteira assinada, desempenho abaixo apenas do obtido em fevereiro e em agosto

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O Ministério da Economia divulgou nessa quinta-feira, 29, os dados de setembro do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e novamente os números da Região Carbonífera são animadores, representando o terceiro melhor saldo do ano na geração de empregos formais. Na soma, os 12 municípios contabilizaram 1.396 novos postos de trabalho com carteira assinada, desempenho abaixo apenas do obtido em fevereiro e em agosto.

Confirmando a tendência de alta registrada já a partir de 2019, no segundo mês de 2020 a Região Carbonífera teve 1.430 contratações a mais que desligamentos. Já com os primeiros impactos da pandemia de coronavírus, em março o saldo começou a diminuir e a região amargou em abril e maio mais demissões do que admissões.

Mas, a economia deu os primeiros sinais de reação em junho, com o saldo voltando a ficar positivo. No mês seguinte, a região obteve então o segundo melhor desempenho do ano, com saldo de 1.212 empregos. No entanto, o maior de número de vagas da região em 2020 viria em agosto, quando foram abertos 1.473 novos postos de trabalho formais. “Setembro novamente registramos saldo muito positivo. Foram quase 1,4 mil contratações a mais que demissões, uma conquista para ser comemorada, sobretudo, pelo significado no acumulado do ano. Tudo isso, demonstra que a economia está retomando, reagindo depois de tantos impactos causados pelo coronavírus”, ressalta o presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin.

Ainda um número maior de demissões

Com o desempenho de setembro, a Região Carbonífera registra, no acumulado do ano, saldo positivo de 1.638 empregos, puxado principalmente por Içara, que entre janeiro e o mês passado acumulou 759 admissões a mais que desligamentos. A seguir, aparecem Urussanga, com 529, e Forquilhinha, com 488.

Maior cidade da região, Criciúma ainda tem 464 demissões a mais que admissões no acumulado do ano. Entretanto, vem se recuperando mês a mês, tanto que baixou o saldo negativo, que era de 1.010 vagas até agosto, ao registrar 597 contratações a mais que desligamentos em setembro.

Entre os demais municípios da região, têm saldo positivo de empregos no acumulado do ano: Nova Veneza (293), Siderópolis (133), Lauro Müller (66), Balneário Rincão (43) e Treviso (39). Já em Cocal do Sul, Orleans e Morro da Fumaça o saldo ainda é negativo em 127, 70 e 51, respectivamente.

Nos dados do Novo Caged, divulgados na quinta-feira, a Amrec e a Amesc tiveram, juntas, um saldo positivo de 1.631 admissões no mês de setembro. Foram 7.605 contratados e 5.974 demitidos. No acumulado do ano, entre janeiro e setembro, as duas regiões apresentam um acumulado de 738 admissões – levando em consideração o número de profissionais contratados e desligados em 2020. É o primeiro número positivo do ano.

Dados positivos em Santa Catarina e no Brasil

Em Santa Catarina, o mês de setembro teve um saldo positivo de 24.827 admissões. Porém, o acumulado do ano ainda é negativo em 4.014 demissões. No total de 2020 são 690.381 contratações e 694.395 desligamentos.

A economia brasileira criou 313.564 empregos com carteira assinada em setembro. O resultado de setembro decorreu de 1.379.509 admissões e 1.065.945 demissões. Com isso, o total de empregos com carteira no Brasil chegou a 38.251.026, o que representa aumento de 0,83% em relação a agosto. Na comparação com janeiro (38.923.831), porém, o total de empregos caiu 1,73%.

Em 2020, porém, o balanço ainda é negativo: nos nove primeiros meses do ano, foram perdidos 558.597 empregos, em meio à crise causada pela pandemia de coronavírus.

Os cinco setores de atividade econômica tiveram saldo positivo em setembro. Impulsionado pela Indústria de Transformação, o setor econômico da Indústria liderou a geração de empregos formais, com saldo positivo de 110.868 empregos com carteira assinada. Depois, vieram os setores de Serviços, com 80.481, e Comércio, que registrou 69.239 novas vagas. Completam a lista a Construção (+45.249) e a Agropecuária (+7.751).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.