Agronegócio impulsiona setor econômico da Amrec

Forquilhinha foi o município que mais cresceu na Região Carbonífera comparado ao ano passado

Foto: Lucas Colombo/ Arquivo TN
- PUBLICIDADE -

Geórgia Gava

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O ano de 2020 foi marcado por muitas dificuldades. Entre elas, a recuperação do setor econômico frente à crise do coronavírus. Inúmeros segmentos buscaram maneiras de se reinventar e manter a lucratividade, mesmo com a falta de matéria-prima e mão de obra. Na Região Carbonífera (Amrec), o Valor Adicionado (VA) – responsável por mensurar a riqueza gerada durante os 12 meses, apresentou um aumento em nove dos 12 municípios que compõe a associação, em comparação ao ano passado.

Os valores apresentados são uma estimativa, que deverá ser oficialmente concluída após auditoria, finalizada em janeiro. “Forquilhinha, Lauro Müller e Urussanga cresceram. O que alavancou a região, esses municípios em questão, foi principalmente o agronegócio, todos que são voltados para esse segmento tiveram impulso no ano de 2020”, explica o coordenador do Movimento Econômico e Tecnologias da Informação da Amrec, Ailson Piva.

Municípios com destaque

Dos 12 municípios que compõe a Amrec, nove apresentaram um saldo positivo quanto ao crescimento econômico. O destaque fica para Forquilhinha, que apresentou o Valor Adicionado superior a 23% no comparativo com o ano de 2019. Logo atrás vem Lauro Müller, com 22,03% e Balneário Rincão, com 20,18%. Urussanga também teve um crescimento significativo, de 11,07%. “Porque Forquilhinha? Ali tem a JBS, que não parou de trabalhar, inclusive, contrataram gente, aumentaram a produção e o frango valorizou. Então, assim, os municípios que têm vocação para o agronegócio, todos eles subiram a economia”, enfatiza Piva.

Para o prefeito de Forquilhinha, Dimas Kammer, apesar das dificuldades, o município conseguiu dar a volta por cima. “Foi um ano atípico e difícil por conta da pandemia. Houve momentos em que precisamos cortar investimentos, pois o cenário não era favorável no primeiro semestre com a queda na arrecadação. Após a paralisação inicial, o mercado reagiu e em algumas indústrias chegou a faltar materiais por conta da alta demanda”, comemora.

Piores resultados

Apenas três municípios da Região Carbonífera tiveram um saldo negativo comparado ao ano de 2019, foram Criciúma, Morro da Fumaça e Orleans. “Alguns que não subiram o percentual, como é o caso de Orleans, por exemplo, isso porque no ano de 2019 subiram muito, eles não conseguem manter um aumento constante, sempre existe uma avaliação, então como ano passado eles cresceram muito, em 2020 não conseguiram manter o mesmo ritmo”, ressalta coordenador.

Alguns fatores causados pela pandemia foram preponderantes para o saldo negativo ou abaixo do esperado na Amrec. “Todos os municípios que são industrializados, eles sofreram muito com essa desaceleração da economia. Isso repercute até hoje, muitas fábricas não conseguem trabalhar por não terem matéria-prima. Tudo isso acabou dificultando o desenvolvimento desses municípios que têm outros tipos de indústrias que não são do agronegócio”, enfatiza Piva.

Crescimento nas regiões

A Região Carbonífera lidera o crescimento econômico no Sul Catarinense com 7,66% de aumento. Logo atrás vem as Regiões de Laguna (Amurel) e do Extremo Sul (Amesc), com 4,17% e 4,82, respectivamente. Já o Estado de Santa Catarina cresceu economicamente 8,12%, em comparação com o ano passado.

O que é o Valor Adicionado?

O Valor Adicionado é o componente principal (85%) para formação do Índice de retorno do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ao município. É apurado anualmente com base no movimento econômico (vendas das empresas, vendas da produção agropecuária, consumo de energia elétrica, serviços de telecomunicação) em cada município.

Valor Adicionado Amrec:

MUNICÍPIOS V.A. 2020 V.A. 2019 DIFERENÇA (%)
Balneário Rincão 77.934.019,32 64.846.197,75 20,18
Cocal do Sul 754.068.384,73 741.659.560,31 1,67
Criciúma 4.328.001.179,50 4.551.081.940,72 -4,90
Forquilhinha 898.907.419,29 727.200.504,94 23,61
Içara 1.576.585.443,84 1.511.168.552,65 4,33
Lauro Müller 560.383.031,81 459.218.325,04 22,03
Morro da Fumaça 493.176.163,38 503.915.489,43 -2,13
Nova Veneza 738.087.060,42 701.035.042,62 5,29
Orleans 703.802.378,09 714.210.531,83 -1,46
Siderópolis 411.980.701,54 381.535.587,31 7,98
Treviso 268.696.843,78 259.552.593,45 3,63
Urussanga 826.337.556,52 743.959.988,80 11,07
AMREC 11.359.384.314,85 10.551.022.744,22 7,66
AMESC 7,425.403.202,44 7.084.084.523,40 4,82
AMUREL 3.164.837.516,09 3.038.053.182,91 4,17
SUL 21.949.625.033,98 20.673.160.450,53 6,17
SANTA CATARINA 219.559.904.294,27 203.062.442.430,84 8,12
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.