“Quem financia os entorpecentes é a elite”, afirma Jorge Giraldi

No mundo, 26 de junho é lembrado como sendo o Dia de Combate às Drogas

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

No mundo, o dia 26 de junho é lembrado como sendo o Dia de Combate às Drogas. Dentre elas estão as ilícitas (crack, maconha, cocaína, etc) e as permitidas (álcool, cigarro, etc). E muitas delas estão ligadas ao crime organizado, como contrabandos, lavagem de dinheiro e tráfico. Essa afirmação é do delegado Jorge Giraldi, com vasta experiência no combate às drogas na região da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc) e da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec).

Atuando na Polícia Civil há mais de 40 anos, Giraldi conta que essa luta é de todos e necessita de trabalho árduo e incessante. Segundo ele, que é titular da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Civil, as drogas contribuem diretamente para o fortalecimento do crime organizado, que realizam tráfico de entorpecentes, armas, lavagem de dinheiro e aliciamento de menores de idade.

“A demanda é muito grande. Não estou falando só do crack e da maconha. Estou falando da cocaína e demais drogas sintéticas também, que atingem a parte mais elitizada da sociedade. Quem financia o tráfico não é o pedinte de rua, mas sim a elite da sociedade, pessoas com poder aquisitivo e que usam drogas com bastante frequência em festas e até mesmo em casa”, revela Giraldi.

Titular da DRE há dois anos, Giraldi foca em encontrar os “barões” do tráfico que, segundo ele, são quem financia e impulsionam o crime organizado. “No momento em que a gente pega os patrões, a gente consegue quebrá-los (financeiramente) e impedir o enriquecimento ilícito, causando prejuízo econômico muito grande a eles, com apreensão de imóveis, veículos, etc”, explica Giraldi. Ele admite que é impossível acabar com o tráfico de drogas. De acordo com ele, isso acontece porque o aliciamento de menores é muito grande.

“Eles têm o poder de aliciamento muito forte. Aquele adolescente infrator que está passando necessidade, eles aliciam. Os traficantes ditam as regras nas vilas onde eles dominam mesmo. Quando não dominam aliciando, isso acontece através da imposição, com ameaças e realmente a comunidade fica com medo da ação dos criminosos, porque eles são capazes de tudo”, conta Giraldi. Ele revela que a maioria dos crimes de homicídios estão ligados ao tráfico de drogas, com crimes de execução sumária cometidos pelos criminosos. “Traiu, denunciou, falou demais, morre em seguida”, conta Giraldi sobre o modo de operação do crime.

“Educação familiar é fundamental”, afirma o delegado

Uma das ferramentas mais importantes da sociedade é a educação. E de acordo com o delegado, a criança deve ser educada pelos pais ou responsáveis e alertada sobre os riscos que as drogas proporcionam. “A educação em casa às crianças e adolescente é essencial. Não se pode esperar que a polícia eduque ou apenas o professor na escola. Está faltando orientação dos pais em casa, pois é ali que começa é ali que ele vai mostrar para os filhos e alertá-los sobre os perigos das drogas”, afirma Giraldi.

De acordo com ele, uma criança ou adolescente mal acompanhado tende a ingressar no mundo das drogas, seja em festas, baladas e grupos de amigos. Ele conta que a falta de vigilância dos pais tem levado a isso. “Nessa minha vida de policial, eu conheci crianças e adolescentes que hoje estão na cadeia ou mortos. Centenas delas”, conclui Giraldi.

Principais efeitos colaterais das drogas:

Cocaína e Crack: Delírios, alucinações, riscos de infarto e agressividade.

Maconha: Dificuldades de aprendizado e memória, apatia, perda da motivação e da produtividade, dor de cabeça, irritabilidade e alteração da capacidade visual.

Álcool: Dores de cabeça, dificuldades respiratórias, visão e audição distorcidas, danos cerebrais permanentes

Cigarro: Câncer, risco de  AVC ou infarto, circulação sanguínea comprometida, problemas respiratórios

Ecstasy: Confusão mental, depressão, ansiedade severa, paranoia, desmaios, visão embaçada

*O Jornal TN produziu um especial sobre o Dia Internacional de Combate às Drogas, que já está sendo veiculado nesta sexta-feira.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.