Nuvem de gafanhotos permanece na Argentina

As condições climáticas resultaram na movimentação da nuvem para o Oeste, se aproximando ao Rio Paraná e afastando-se do Brasil e Uruguai.

Imagem: Divulgação/ DCSC
- PUBLICIDADE -

O Governo do Estado segue monitorando a nuvem de gafanhotos em deslocamento pela Argentina, ainda que permaneça remota a possibilidade de chegada ao território catarinense. As condições climáticas resultaram na movimentação da nuvem para o Oeste, se aproximando ao Rio Paraná e afastando-se do Brasil e Uruguai.

A nuvem se encontra entre as cidades de Sauce e Esquina, na Província de Corrientes. De acordo com o grupo de trabalho formado por diversas agências, a previsão é que a nuvem continue se deslocando para Oeste em direção a Província de Santa Fé, também na Argentina.

- PUBLICIDADE -

No último sábado,27, o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa), da Argentina, realizou controle aéreo e anunciou que as estimativas apontam que 15% da nuvem de gafanhotos foi eliminada. No domingo foi realizado novo controle terrestre para o controle dos insetos, mas os resultados ainda não foram divulgados.

Atenção

É importante destacar que não existe até o momento a necessidade de ação preventiva pelos produtores rurais. O uso indiscriminado de agrotóxicos nesta fase é considerado desperdício de recursos e pode causar impactos negativos no meio ambiente, atingindo insetos polinizadores e prejudicando diversas culturas.

Caso ocorra alteração na situação, a Defesa Civil e a Secretaria da Agricultura emitirão alertas para os agricultores e profissionais da área. Mai informações estão disponíveis para os agricultores nos escritórios municipais da Cidasc ou Epagri.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.