Morro da Fumaça: Um desenvolvimento que passa pelas mãos da indústria

Atualmente o setor de transformação é o maior responsável por fazer a roda girar

Foto: Lucas Colombo / TN
- PUBLICIDADE -

O município de Morro da Fumaça é uma cidade com vocação para agricultura, para o setor cerâmico, mas, acima de tudo para o desenvolvimento. Nos últimos anos, a cidade vem crescendo gradativamente e se tornando referência em ‘fazer mais com menos’ na Região Carbonífera.

Morro da Fumaça foi elevado a distrito de Urussanga através do decreto do presidente da República, Getúlio Vargas, em 1931, e se emancipou em 1962 por uma lei estadual. Desde então a cidade começou a se desenvolver aos poucos, com início em dois segmentos, na agricultura, em regiões específicas, como na localidade de Estação Cocal – há 116 anos, que nasce antes mesmo que a cidade. Bem como, por meio da cerâmica vermelha, com foco na produção de tijolos, telhas, entre outros produtos.

- PUBLICIDADE -

Mas, com o passar do tempo, outras empresas foram chegando e impulsionado o desenvolvimento da cidade, já que impostos são pagos conforme o tamanho da empresa ou indústria. Segundo o coordenador do movimento econômico da Associação dos Municípios da Região Carbonífera, a Amrec, Ailson Piva, a cidade ganhou mais ‘peso’ econômico com a chegada de empresas do ramo de transformação. “A indústria que mais arrecada no município é uma de transformação de materiais, na área do plástico. Esse setor de transformação é muito forte, pois nele se incluem as olarias e entre outros serviços instalados no município de Morro da Fumaça”.

Com a ampliação do setor, a arrecadação aumentou. Conforme Piva, o poder de investimento no município passou a ser maior. “Morro da Fumaça cresceu mais de 10 % entre 2018 e 2019, sendo que a expectativa de crescimento para 2020 chegaria à média de 16% e 18%, próximo aos números positivos que tivemos em Içara”.

Em meio à pandemia, o clima é de insegurança na área da econômica. “A expectativa era muito positiva, mas tudo está parado, temos uma economia sem números, apenas girando entorno de expectativas, pois não temos dados econômicos”.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.