Morro da Fumaça: decreto proíbe abertura de empresas

Devem deixar de funcionar neste período: escritórios de advocacia, contabilidade e engenharia, arquitetura, corretor de imóveis, financiamento e similares, empresas têxteis, confecções, facções, inclusive as que trabalham apenas com acabamento de peças de vestuário.

- PUBLICIDADE -

O prefeito de Morro da Fumaça, Noi Coral, assinou decreto na tarde dessa sexta-feira, dia 20, que suspende até o dia 27 de março as atividades e os serviços privados do comércio em geral, com exceção aos serviços essenciais.

Devem deixar de funcionar neste período: escritórios de advocacia, contabilidade e engenharia, arquitetura, corretor de imóveis, financiamento e similares, empresas têxteis, confecções, facções, inclusive as que trabalham apenas com acabamento de peças de vestuário.

- PUBLICIDADE -

As indústrias não abrangidas pela suspensão imposta pelo decreto deverão operar somente com sua capacidade mínima necessária, considerando-se como tal o equivalente a 50% de sua capacidade de pessoal para cada turno de trabalho. O decreto não invalida as providências descritas no Decreto 044/2020, de 19 de Março, ratificando-o, assim como ratifica o contido nos Decretos nº 509 e 515, de 17 de março, do Governo do Estado de Santa Catarina. As medidas poderão ser reavaliadas a qualquer momento de acordo com a situação epidemiológica do município.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.