Médicos de SC pedem uso de cloroquina no combate à Covid-19

Em carta destinada ao governador Carlos Moisés, os profissionais da saúde solicitam ainda outros sete medicamentos para o tratamento de infectados pelo vírus, entre eles a azitromicina e a ivermectina

Foto: Lucas Colombo / Arquivo TN
- PUBLICIDADE -

Os médicos do Estado de Santa Catarina emitiram uma carta destinada ao governador Carlos Moisés e ao secretário de Estado da Saúde, André Ribeiro, pedindo o uso de medicamentos no tratamento imediato para os infectados pelo coronavírus. Preocupados com a rápida evolução do vírus e da necessidade hospitalar, eles propõem que drogas que tragam possíveis benefícios no combate à doença sejam utilizadas desde o início.

Segundo a nota, existem estudos no Brasil e no exterior que apontam resultados positivos no tratamento precoce com várias medicações e medidas preventivas. Entre elas, estão:

- PUBLICIDADE -

– Hidroxicloroquina (ou cloroquina);
– Ivermectina;
– Azitromicina;
– Zinco;
– Vitamina D;
– Vitamina C;
– Corticóide;
– Anticoagulantes.

“É claro que como muitos estudos estão sendo realizados mundialmente, e é de caráter dinâmico, que as evidências que irão se acumulando, deverão ser levadas em conta pelos grupos que serão responsáveis pelos protocolos do tratamento precoce do COVID 19. Solicitamos o apoio do governo estadual para que essas medidas sejam tomadas, resguardando a autonomia médica, e que toda a população possa ter acesso a essas medicações”, afirma a nota.

O grupo de médicos ressalta ainda que os hospitais privados estão trabalhando no limite das suas capacidades, e que essas medidas vêm com o objetivo de diminuir a necessidade de internações hospitalares.

“Estamos convictos que essa situação irá piorar, com lotação dos hospitais públicos e privados, além da possibilidade da falta das medicações necessárias para manter o paciente em ventilação mecânica, que são sedativos e relaxantes musculares”, destaca.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.