Maracajá: Famílias recebem tablets para tarefas pedagógicas de alunos

1,2 mil aparelhos foram adquiridos pela administração municipal e distribuídos aos estudantes

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Cerca de 150 tablets, de um total de 1,2 mil aparelhos adquiridos pela administração municipal para utilização em sala de aula por alunos e professores, estão dando sustentação para estudantes de famílias que não têm acesso a internet ou não possuem telefones celulares para executarem as tarefas diárias de atividades pedagógicas à distância. Além desses, cerca de 50 estudantes “desconectados” recebem conteúdos impressos semanais.

“Só temos um celular em casa e quando o Cristian, que em 10 anos, fazia as tarefas do quarto ano, às vezes era interrompido por chamadas de fora; ou quando a gente precisava ligar ou mandar e receber mensagens de whatsapp; era um transtorno para todos nós e que agora acaba com o tablet “, relata Renata Kuckertt de Souza, mãe de aluno da nova Escola Municipal 12 de Maio.

- PUBLICIDADE -

Renata tem três filhos, dois deles na rede municipal de Maracajá. Além de Cristian, ela tem a Bianca, de quatro anos, na pré-escola. Beatriz, de três anos, somente em 2021 será matriculada. “O desafio de ser mãe na pandemia não está sendo fácil; antes tinha tempo para cuidar da pequena e da casa; agora para complicar meu marido se acidentou no trabalho; estou com quatro crianças para cuidar”, brinca, bem-humorada.

Orgulhosa, a mãe ressalta que “Cristian é um menino muito inteligente, entende com facilidade as tarefas, faz os exercícios e como está habituado a utilizar o tablet em sala de aula desde o ano passado, tudo fica mais tranquilo e o telefone celular disponível, já que temos internet em casa”. Os estudantes que não têm internet recebem, semanalmente, um tablet com as tarefas baixadas e o trocam as quartas-feiras, com os exercícios resolvidos, levando outro aparelho com as tarefas da semana seguinte .

A técnica em informática da nova Escola Municipal 12 de Maio, Luciane Lemos, informa que tem sido tranquilo o processo de adaptação dos estudantes e suas famílias com os equipamentos. “Problemas de acesso, com relação a senhas e usuários ocorrem, vez por outra, mas são superados com facilidade pela habilidade das crianças e adolescentes em utilizar estes equipamentos”, diz Luciane.

A diretora de Educação, Aline Rosso, enfatiza que os tablets supriram necessidades importantes. “Além das que não têm acesso à internet, temos casos de famílias que têm mais de um filho na rede municipal, mas possuem apenas um telefone celular disponível para todos”, ilustra a diretora. “Nossa meta é atingir todos os nossos estudantes e garantir que todos possam acessar os conteúdos e os pais participem deste processo”, finaliza.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.