DIC de Criciúma esclarece homicídio

Dois adolescentes foram apreendidos

Foto: Lucas Colombo/ Ilustrativa/ TN
- PUBLICIDADE -

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma esclareceu um homicídio cometido no dia 24 de março. Francisnei Torres foi assassinado a tiros no bairro Renascer, com os autores dos disparos tendo filmado a execução, dizendo que haviam cometido o assassinato pelo fato da vítima ser simpatizante de um grupo criminoso rival.

Através das investigações realizadas pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa da DIC, os autores dos disparos foram identificados como sendo os adolescentes J. P. S. G. e M. V. M. F., ambos de 17 anos, que após o homicídio teriam se evadido do bairro Renascer.

- PUBLICIDADE -

Com apoio da Polícia Civil de Braço do Norte, descobriu-se que os dois adolescentes estavam escondidos em uma casa no interior do referido município, sendo expedido pela Comarca de Braço do Norte um mandado de busca e apreensão na residência.

No início da manhã de hoje, dia 2, a DIC de Criciúma prestou apoio à delegacia de Braço do Norte no cumprimento do mandado, sendo ambos adolescentes encontrados na casa suspeita, localizada no bairro Açucena.

Na residência foi apreendida 6,5 g de crack, e os adolescentes foram conduzidos à delegacia, onde confessaram a autoria do homicídio, informando que mataram a vítima por ele ter publicado em uma rede social mensagens alusivas a uma facção criminosa de São Paulo.

Eles responderão o procedimento policial perante a DPCAMI pelo ato infracional análogo ao crime de homicídio qualificado pelo motivo fútil e por impossibilidade de defesa da vítima.

Em 2020 foram praticados sete homicídios em Criciúma, dos quais seis já estão esclarecidos, destacou o delegado André Milanese.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.