Criciúma: Vereador quer regulamentação da Central de Ambulâncias

CPI que investigava irregularidades no serviço na cidade foi suspensa pela Justiça por tempo indeterminado

Divulgação
- PUBLICIDADE -

O vereador Zairo Casagrande (PSD) apresenta nessa terça-feira, dia 30, um projeto de regulamentação da Central de Ambulâncias de Criciúma. O pedido vem após a CPI que investiga irregularidades na contratação de motoristas para os veículos de saúde do Município ser suspensa pela Justiça. O objetivo é mostrar ao secretário de saúde Acélio Casagrande, como corrigir as ilegalidades presentes no contrato firmado com a empresa.

O parlamentar se reuniu com diversos trabalhadores da área para formular o projeto. “As ambulâncias do Município têm servido até para fazer partos, para carregar mesas, para carregar utensílios… É uma coisa louca. Pacientes de clínicas particulares estão utilizando o serviço, isso é totalmente um desvio de finalidade”, argumenta.

- PUBLICIDADE -

Para Zairo, há uma série de desvios acontecendo. Ele lamenta que a CPI que investigava o caso tenha sido barrada após uma liminar concedida à defesa da Afasc, que também vinha sendo investigada. “Foi uma decisão monocrática do Tribunal de Justiça, de um desembargador, suspendendo todas as CPIs de Criciúma. Na minha opinião, uma decisão horrorosa”, frisa.

Diante disso, surgiu a ideia de chegar ao poder executivo por meio do projeto. “O que queremos é a profissionalização do serviço de ambulâncias, que deve ser usado apenas por pacientes do SUS. Isso se opõe a favores pessoais, políticos e uso particular. Precisamos corrigir isso”, arremata.

O projeto apresentado se inspirou em modelos de outros municípios, adaptados à realidade de Criciúma. Agora, o vereador espera que a secretaria de Saúde analise os fatos e faça a discussão. ”Se possível que o projeto venha do executivo, porque ele transitará melhor na Câmara”, conclui.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) é público e opera no número de emergência 192. Ele deve ser utilizado para transportar pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) de seus locais para Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.