Criciúma: Câmara decide realizar sessões remotas, após caso de Covid-19

Servidor testou positivo para o coronavírus nesta segunda-feira, dia 13

Foto: Talita Grassi/ Comunicação Câmara
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Após um servidor da Câmara Municipal de Criciúma testar positivo para o coronavírus, na tarde desta segunda-feira, dia 13, os vereadores decidiram por realizar, remotamente, as sessões desta segunda e terça-feira. A decisão tomada em conjunto pelos líderes de bancada tem como objetivo o combate à pandemia de Covid-19. A sede do Legislativo já está passando pelo processo de higienização por ozônio.

- PUBLICIDADE -

“Definimos que, após essa situação onde o assessor de um vereador positivou para Covid-19, e também por algumas pessoas que trabalham aqui e tiveram contato direto com positivados, então decidimos realizar a desinfecção por ozônio que está sendo disponibilizado pela Unesc. Agradecemos a reitora da Universidade, Luciane Bisognin Ceretta e ao professor e pesquisador responsável, Elídio Angioletto, que fará este trabalho com sua expertise e tecnologia única, no apoio a prevenção à saúde das pessoas da Câmara de Vereadores”, ressaltou o presidente do Legislativo, Tita Belloli.

Nos próximos dias, a direção da Câmara deve avaliar o retorno das sessões presenciais. Lembrando que, as sessões são transmitidas ao vivo pelo Facebook e site do Legislativo.

O Legislativo também vinha realizando a medição da temperatura corporal de cada pessoa que necessitasse entrar na Casa, além da disponibilização de álcool em gel, e a higienização dos microfones do plenário, para que cada vereador pudesse utilizar o equipamento com segurança.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.