Roubo celulares são registrados no Universitário

Polícia intensifica rondas depois de estudantes relatarem assaltos contantes no entorno do bairro

Foto: Lucas Colombo/Tribuna de Notícias

- PUBLICIDADE -

Lucas Renan Domingos

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Estudantes estão preocupados com uma onda de assaltos no bairro Universitário. Nas últimas semanas, criminosos, muitas das vezes armados, estão abordando pessoas e roubando celulares. A quantidade de crimes denunciados pelas vítimas chegou até o conhecimento da Polícia Militar (PM) que vem trabalhando para coibir novos casos e identificar os autores. Na última quarta-feira, dois suspeitos foram detidos.

Uma das primeiras ocorrências registradas, ainda no início do mês de setembro, foi da estudante Raíssa Oliveira. Ela e mais três amigas retornavam para casa após a aula quando foram abordadas. “No nosso caso, acabou sendo uma tentativa de roubo. O assaltante chegou de bicicleta, nos apontou uma arma e mandou passar o celular. Consegui entrar em uma casa e chamar a polícia. Ele fugiu”, contou Raíssa.

Após o caso, novos episódios vieram à tona. “Eu relatei no grupo do prédio onde moro e mais pessoas começaram a falar que passaram pela mesma situação. Depois disso vem acontecendo toda semana. Hoje (quinta-feira) teve um assalto, quarta-feira mais três”, enumerou a estudante.

Os alunos chegaram a criar um grupo para organizar as saídas das aulas. São mais de 180 participantes. O objetivo é evitar que pessoas andem sozinhas, tentando afastar os criminosos. “É um jeito de tentar evitar, mas está difícil. Estávamos em três e fomos assaltadas. Teve um caso que a polícia atendia uma ocorrência e duas ruas para cima aconteceu outro assalto”, disse Raíssa.

Mais guarnições estão trabalhando nas ruas

A PM não sabe precisar quantos assaltos foram efetuados nas últimas semanas na região. “Mas os relatos recorrentes nos chamaram a atenção”, reconheceu o sargento Juliano Severo, comandante da Rede de Vizinhos do setor do bairro Santa Luzia. Assim que os fatos começaram a chegar até os policias, medidas estão sendo tomadas. “Intensificamos o policiamento. Algumas ações têm sido com emprego de violência. Nesta semana dois adolescentes tiveram os celulares roubados e foram agredidos de forma intensa”, frisou o sargento.

Foto: Divulgação/PM

Os smartphones roubados foram recuperados horas depois pelos policiais. “Os aparelhos foram rastreados pela mãe de uma das vítimas e apontava a localização do Residencial Carmel, no bairro Mineira Velha. Fomos até o local, mas não conseguimos concluir a abordagem dos supeitos, pois um adolescente não quis obedecer a ordem policial e a população de lá inflamou contra a polícia”, relatou Severo.

O mesmo jovem foi encaminhado para a delegacia pela desobediência. Foi quando os policiais receberam uma nova informação dos familiares das vítimas. “O celular foi levado para o loteamento Jardim Carmélia. O Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) foi ao local e prendeu um suspeito. Ele alegou que era responsável por desbloquear celulares”, detalhou o sargento.

A polícia acredita que os criminosos estejam agindo em quadrilha. “Tem gente responsável por roubar, outros para desbloquear e há ainda os que vendem”, analisou. Os alvos têm sido mesmo os estudantes. “O ditado que a oportunidade faz o ladrão é verdade. Naquela região tem muitos alunos, são vários locais de ensino. Então o pessoal fica com o celular na mão. Acaba sendo uma vítima fácil. Qualquer celular hoje, eles vendem por R$ 1 mil. É atrativo para o criminosos eles estavam tendo êxito nas ações”, disse Severo.

Os policiais também estão efetuando comunicados nos grupos da Rede de Vizinhos dos bairros próximos. “Além dos que foram detidos, deve haver mais suspeitos. Por isso, continuamos trabalhando para resolver o problema”, finalizou.

Foto: Divulgação/PM
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.