Ressocialização como aliada na manutenção dos municípios

Criciúma e Içara contam com a mão de obra de apenados do regime semiaberto, o que gera economia e ao mesmo tempo dá nova chance aos trabalhadores

- PUBLICIDADE -

Thiago Oliveira

Criciúma/Içara

- PUBLICIDADE -

O município de Morro da Fumaça manifestou o interesse em contar com a mão de obra de reeducandos do regime semiaberto para a manutenção nas ruas. A iniciativa, que ocorre a partir de um convênio com a Secretaria de Estado de Administração Prisional e Socioeducativa, por meio do Departamento de Administração Prisional (Deap), termina por ser benéfica para os dois lados, já que gera economia aos cofres públicos e mantém a cidade limpa, e ao mesmo tempo, contribui para a ressocialização dos apenados.

Na região, aproximadamente 140 apenados do Presídio Santa Augusta trabalham na rua. Mas para isso, precisam estar no regime semiaberto e terem bom comportamento. “Tem todo um histórico, e se tiver qualquer ato de indisciplina durante o trabalho, já é recolhido’, revela o gerente do presídio Rodrigo Ferreira.

Dos municípios da região, Criciúma e Içara possuem convênios com o Deap para a contratação da mão de obra de apenados do Presídio Santa Augusta para atividades de manutenção das vias públicas da cidade.

Confira a matéria completa na página 7 do Tribuna de Notícias desta quinta-feira

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.