Relatório de Ademir Honorato é aprovado na CI do Criciumaprev

Parecer original recebeu quatro votos favoráveis e três contrários

- PUBLICIDADE -

Os membros da Comissão de Investigação (CI) da Câmara de Vereadores de Criciúma que apura possíveis irregularidades entre a Prefeitura e o Instituto de Seguridade Social dos Servidores Públicos Municipais, o Criciumaprev, votaram e aprovaram na tarde desta segunda-feira (5) o relatório do vereador Ademir Honorato (MDB).

A conclusão de Ademir, já apresentada na última segunda-feira, foi de que o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), deveria ter pago as contribuições previdenciárias ao instituto em 2017, pois havia saldo em caixa. Ele também concluiu que o presidente do Criciumaprev, Darci Antonio Filho, descumpriu suas obrigações quando deixou de informar aos órgãos competentes sobre os atrasos desses pagamentos.

- PUBLICIDADE -

O relatório de Ademir será lido na sessão ordinária desta segunda-feira e em seguida enviado para os órgãos com poderes de investigação e posterior julgamento e punição, caso entendem pertinente. Os órgãos em questão são o Ministério Público, o Tribunal de Contas do Estado e a Secretaria de Previdência.

O relatório de Ademir foi aprovado com quatro votos favoráveis e três contrários. Acompanharam o relator, além dele mesmo, os vereadores Edson Luiz do Nascimento, o Paiol (PP), Zairo Casagrande (PSD) e Julio Kaminski (PSDB). Os demais membros, e portanto contrários, foram Aldinei Potelecki (PRB – líder de governo), Jair Alexandre (PSC) e Julio Colombo (PSB).

Antes, o relatório substitutivo escrito por Julio Colombo foi lido e apresentou conclusões diferentes, isentando de culpa o prefeito e o presidente do instituto, assim como justificando outros pontos apurados pela CI. Esse substitutivo, porém, foi rejeitado por 4 votos a 3, justamente o inverso da votação do relatório de Ademir, segundo a ser apreciado.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.