Unesc apresenta Balanço Financeiro após 700 dias de gestão da atual reitoria

Universidade havia fechado ano de 2017 com um déficit de R$ 8,4 milhões, mas conseguiu finalizar 2018 com superávit de R$ 4,8 milhões

Foto: Mayara Cardoso/Unesc
- PUBLICIDADE -

Lucas Renan Domingos

Criciúma 

- PUBLICIDADE -

A Universidade do Extremo Sul Catarinense, Unesc, convocou uma coletiva na tarde de hoje para a apresentação do Balanço Financeiro da Instituição. Os dados levaram em conta os números antes da posse da atua gestão em relação ao atual momento vivido pela Universidade de Criciúma.

Todo o levantamento foi aprovado pelo Conselho Universitário, Conselho Curador e Conselho Superior de Administração da Unesc. A reitora da instituição, Luciane Ceretta foi a responsável por apresentar os resultados obtidos em 700 dias desde a posse da atual reitoria.

Segundo Luciane, quando a gestão vigente assumiu o comando da Unesc, a universidade havia fechado o ano de 2017 com um déficit de aproximadamente R$ 8,4 milhões. Um ano depois, a instituição fechou o balanço positivo com um superávit de R$ 4,8. “Se levamos em consideração a diferença entre esses valores são mais de R$ 13 milhões em performance”, destacou a reitora.

Para chegar a esse número, a Unesc trabalhou em alguns eixos estratégicos. Alguns citados durante a apresentação foram o reposicionamento de dívidas de curto prazo, alongamento das dívidas com bancos e quitação de todos os impostos e encargos trabalhistas em atraso.

“Nossa ideia é sempre conseguir tornar a universidade mais eficiente sem prejudicar a excelência acadêmica e até mesmo ampliando essa excelência”, explanou a reitora. Hoje, a receita da Unesc é 96,6% vinda de renda própria e o restante, 3,4%, são oriundos de recursos públicos.

“Tivemos que fazer reavaliações de contratos, renegociar nossas dívidas e fazer uma readequação do nosso quadro de funcionários. Chegamos a ter 65% da nossa receita comprometida com o quadro de funcionários. Queremos agradecer a todos a comunidade acadêmica por ter abraçado esse nosso projeto, tantos os alunos como a instituição em si”, frisou Luciane.

Redução do total de dívidas

Hoje, as dívidas da universidade estão calculadas em R$ 43 milhões por ano. Em 2017, esse valor era de R$ 48 milhões. O consultor financeiro da Unesc, Zanoni Elias, aponta que a meta é amortizar esse valor em R$ 20 milhões por ano. “Projetamos conseguir equalizar nossos passivos nessa quantia em até cinco anos”, analisou. “Nossa principal meta era começar a reduzir isso. Foi o que foi feito neste primeiro ano. Já se foram R$ 5 milhões, o que é um valor expressivo”, completou.

Agora com o balanço fechando positivo, a reitora afirma que a principal intenção é colocar em práticas projetos pensados antes da posse da atual reitoria. “Tinhamos aguns planos que precisaram ser freiados por conta desse déficit em 2017. Ajustamos esse valor e agora passaremos a investir ainda mais na nossa univesidade”, disse.

Algumas das metas são ampliação do Ensino a Distância (EAD), abertura do polo Unesc Virtual em Araranguá, inovação curricular, implantação de espaços de inovação, ampliação de operação da Incubadora Unesc, investimento em infraestrutura, reposicionamento da Central do Estudante, Bibliteca Digital, reposicionamento da Sala dos Municípios, excelência acadêmica, mais políticas de valorização de pessoas e currículos internacionalizados.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.