Terrenos e imóveis abandonados geram alerta em Balneário Rincão

Mato e resíduos acumulam nesses locais, criando ambientes favoráveis ao Aedes aegypti. Situação requer conscientização de moradores e veranistas

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

Balneário Rincão

Apesar da limpeza das casas ter se intensificado em Balneário Rincão com a proximidade da época de veraneio, ainda há terrenos baldios e imóveis abandonados gerando transtornos à vizinhança. Esses locais foram transformados em depósitos de galhos, lixos e restos de materiais de construção, facilitando a proliferação de animais peçonhentos e se tornando propícios para o surgimento de focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika vírus e febre chikungunya.

- PUBLICIDADE -

Segundo um dos fiscais de obras e posturas da Prefeitura João Filipe Cardoso, somente neste ano, aproximadamente 500 terrenos já foram notificados pelo Município, para que os proprietários realizassem a limpeza e adequações necessárias. “Muitos moradores e veranistas ainda têm a mentalidade de que não existe fiscalização no Rincão. Mas isso mudou. Agora ela é feita durante o ano inteiro, há lei para isso e está prevista multa àqueles que não atenderem a notificação”, pontua Cardoso.

Enquanto isso, o Programa de Controle de Endemias atua no combate ao Aedes aegypti, já que a chegada das estações chuvosas favorece o acúmulo de água em recipientes descartados irregularmente. De acordo com a agente de endemias Gisele Cardoso, casos como os desses terrenos baldios devem ser delatados, para que ocorra a fiscalização. “A orientação é que a pessoa faça uma denúncia na Central do Cidadão, para que seja feito o protocolo e verificado o risco de foco de mosquito. Então é visto se é comigo ou com o setor de posturas, e o proprietário é notificado para fazer a limpeza do local”, explica.

 

Confira a reportagem completa na edição desta quarta-feira, 6, do jornal Tribuna de Notícias. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Balneário Rincão

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.