Natal: data convida a refletir sobre a vinda de Jesus

Para os cristãos, o verdadeiro significado é o nascimento do filho de Deus e Salvador, em um momento de fé e espiritualidade

Foto: Lucas Colombo/TN

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Período de celebrações, de se reunir com amigos e familiares, de troca de presentes, de Papai Noel, de férias e de viagens. Nesta época do ano, é isso o que muitas pessoas acabam associando ao Natal, deixando de lado o significado religioso da data: a simbologia sobre o nascimento de Jesus Cristo. Na noite desta terça-feira e durante o dia 25, os cristãos são convidados a refletirem de maneira especial sobre a história que atravessa gerações, quando Deus enviou o Filho como um presente ao mundo.

- PUBLICIDADE -

Por isso, nesses dias, o convite é para que os cristãos deixem de lado o universo consumista e se voltem aos ensinamentos deixados por Jesus. “O Natal é a grande festa do nascimento de Cristo, que é o nosso Senhor e Salvador. É importante lembrar que é uma festa onde celebramos a nossa fé, a nossa esperança e também a alegria, lembrando também muito as famílias, já que Jesus nasceu em uma família”, destaca o bispo da Diocese de Criciúma, dom Jacinto Inácio Flach.

Segundo ele, é essencial que as pessoas se dediquem a celebrar o Natal recordando a vida, para um momento pleno de comemoração. “Para essa festa ser completa e boa, precisamos lembrar que não podemos celebrá-la e esquecer Jesus, que é o principal motivo. E a participação Dele é justamente quando nós também O acolhemos com muita humildade em nossa vida, nossa história e em nossa família. Que, assim, a ceia de Natal não seja apenas uma celebração nossa, mas com a presença Dele, que traz tanta coisa boa para todos nós”, acrescenta o bispo.

Pausa na correria de fim de ano

Lembrar e cultivar esse verdadeiro espírito natalino também serve como um “respiro” em meio à pressa cotidiana, agravada nesta época, proporcionando serenidade à vida de cada um. “É preciso celebrar em comunhão com a Igreja e com a comunidade, e depois junto com a família, onde precisa ser cultivada a paz, a alegria e a esperança em nossos corações. Muitas vezes, no fim de ano, estamos um pouco estressados com a correria, mas não podemos esquecer que essa não pode ser qualquer festa. Essa é uma festa de fé, de amor”, enfatiza dom Jacinto.

Parar e vivenciar esse momento em comunhão com Deus, conforme o bispo, é a melhor forma de celebrar o nascimento de Cristo. “É interessante lembrar que, quando Jesus nasceu, as portas em Belém estavam fechadas, não O acolheram. Nós queremos acolhê-Lo em nossas famílias e nossas comunidades, não queremos mandá-Lo adiante, como foi no tempo em que Ele nasceu”, reflete.

 

Confira a reportagem completa na edição conjunta de Natal do jornal Tribuna de Notícias. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.