Municípios aguardam definições sobre Mais Médicos

Informação de que Governo Federal estuda possibilidade de reabrir vagas a profissionais cubanos traz esperança às prefeituras, mas sem garantias. Medidas paliativas são adotadas pelas cidades

Imagem ilustrativa
- PUBLICIDADE -

A notícia em sites nacionais de que o Governo Federal estuda a possibilidade de reintegrar profissionais cubanos ao Programa Mais Médicos traz esperança para os municípios. Desde que o acordo entre Brasil e Cuba foi rompido, no fim de 2018, são encontradas dificuldades em preencher as vagas, principalmente em cidades distantes de grandes centros. No Sul de Santa Catarina, as Prefeituras buscam alternativas para amenizar o problema.

Até essa quarta-feira, 10, o Ministério da Saúde não confirmou oficialmente essa possibilidade de reincorporar os profissionais. “Saiu essa matéria sobre o programa Mais Médicos, dizendo que o governo vai rever principalmente na recontratação de cubanos. Mas, para nós, secretários, não chegou nada. Então não sei se isso é verídico”, comenta a secretária de Saúde de Içara, Jaqueline dos Santos. A cidade foi a mais prejudicada na região com a mudança no programa.

- PUBLICIDADE -

De acordo com ela, caso o governo confirme essa reintegração de profissionais, a medida beneficiará Içara no âmbito financeiro. “Porque os médicos do programa são pagos pelo próprio Governo Federal. O Município só entra com uma parcela pequena na questão de aluguel e alimentação. Então isso ajuda bastante, porque agora, com essa contratação, quem está assumindo o ônus é o Município”, destaca Jaqueline.

Porém, caso seja confirmada, pode ser que a medida não alcance os municípios do Sul do estado. “Eu acho que não é no mesmo critério do Mais Médicos. Há pouco tempo foi lançado um novo edital para preencher algumas vagas, mas só para cidades bem vulneráveis, com IDH bem baixo. Em Santa Catarina, sete municípios foram contemplados, mas nenhum da região”, analisa a secretária de Saúde de Siderópolis e presidente do Colegiado de Saúde da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec), Glaucia Cesa Périco.

 

Confira mais detalhes na edição desta quinta-feira, 11, do jornal Tribuna de Notícias. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.