- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Içara

- PUBLICIDADE -

A Cooperativa Aliança – Cooperaliança – de Içara terá continuidade no comando do Conselho de Administração. Na tarde deste sábado, 26, o candidato da Situação, Reginaldo de Jesus, o Dedê, foi eleito como sucessor de Jorge Rodrigues e que apoiava a candidatura de Dedê. O vice será Paulo da Silva.

O vencedor fez 4143 votos – quase o triplo, em relação à chapa de oposição, que fez 1639 votos. Foram 52 votos brancos e 55 votos nulos, totalizando 5889 eleitores. A Cooperaliança tem mais de 39 mil associados. “Hoje, o reconhecimento do associado é expressivo: quase seis mil sócios presentes, em um sábado onde temos os Balneários e lagoas cheias. Ainda assim, seis mil sócios estiveram aqui e eu recebi mais de quatro mil votos. Então, fico bastante feliz e agradeço aos companheiros da chapa, os outros 17 membros, que trabalharam comigo nessa campanha”, agradeceu Dedê.

Funcionário da cooperativa há mais de seis anos, Reginaldo não esqueceu de agradecer ao apoio do antigo presidente, que chancelou a candidatura. “Agradeço ao atual presidente, Jorge Rodrigues, que me deu esse emprego, há seis anos, e esse caminho que percorri com bastante dedicação. Alcancei essa vitória e era um sonho ser presidente”, comentou.

Manter a tarifa e a melhorar a qualidade dos serviços

A tarifa de energia cobrada pela Cooperaliança é uma das mais baratas do Brasil e o objetivo de Dedê é manter o patamar alcançado e, se possível, baratear mais ainda o valor para o associado. Ao mesmo tempo, ele pretende melhorar a qualidade dos serviços e fazer investimentos na estrutura da Cooperativa. “Preciso de acesso ao Governo Federal, pois os encargos setoriais são caros e a Cooperaliança repassa mensalmente. Então, a gente vai precisar desses Deputados Estaduais e Federais, porque o impacto na compra de energia e os encargos setoriais, elevam a tarifa das cooperativas de Santa Catarina e do Brasil”, comentou.

O novo presidente promete se empenhar para atingir os objetivos. “Agora vamos nos dedicar. Segunda-feira, às 7h40, já estarei na empresa para trabalharmos. Queremos manter a Cooperaliança entre as mais baratas do Brasil, preço justo e qualidade de energia. Vamos pensar em investimentos para o nosso associado. Prometo dedicação e compromisso”, completou.

Como uma cooperativa concessionária, a Cooperaliança adquiriu direito a ter subsídios. Manter esse perfil é outro desafio de Dedê. “Precisamos, com o novo governo, que alguém coloque ‘um dedo’ em Minas e Energia e que esses encargos setoriais sejam reduzidos, principalmente nas cooperativas permissionárias e concessionárias. Somos a única cooperativa concessionária. Conquistamos o direito dos subsídios e vamos precisar manter esses subsídios. Esse é um desafio da nova diretoria”, enfatizou.

Dedê promete também assumir responsabilidades e não colocar a culpa em encargos e preços na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “Nem tudo é culpa deles (Aneel), precisamos fazer a nossa parte. A gente vai sentar, avaliar como está a empresa, vamos nos reunir, mas precisamos comprar suprimentos baratos, enxugar a folha de pagamento e investir na rede com materiais de boa qualidade e baixo preço, mas o que mais impacta é a compra de energia e o subsidio do governo federal. Se a gente comprar uma energia barata e os encargos setoriais baixarem um pouco, vamos continuar entre as mais baratas do Brasil”, finalizou.

Emoção ao falar da família

Acompanhado da mãe, esposa e filho, Dedê se emocionou ao lembrar da perda do pai da importância do apoio familiar. “Eu e meus companheiros nunca estivemos em uma eleição, é algo totalmente diferente na vida da gente. Envolve família, tempo e demandas que nunca tivemos. Familia é a base de tudo. Tenho 23 anos de casamento, um filho de 19 anos e minha mãe, já que perdi meu pai cedo”, falou, com a voz embargada.

Reconhecimento dos candidatos

Em uma eleição tranquila, sem maiores incidentes, os candidatos foram cordiais entre si. Dedê reconheceu que a Chapa 2 fez uma oposição forte. “Eles estiveram presente nas comunidades levando o projeto deles. Agradeço aos associados que me deram esse voto de confiança e agora devo o compromisso de um bom mandato nos próximos quatro anos”, ressaltou.

Candidato derrotado, Josimar da Silva acredita que a Chapa 2 cumpriu com o papel estabelecido na eleição: o de colocar uma alternativa aos associados. “Quero agradecer a todos os participantes da Aliança da Mudança, que colocaram o nome à disposição a todos que acreditam na mudança. Nós fizemos uma campanha, onde o tempo e o recurso nos permitiu: ‘sola de sapato’, ‘mãos limpas’ para trabalhar, falamos para as pessoas que existe uma eleição, existe uma oposição e que dava para mudar. Demos a opção para as pessoas”, destacou.

Josimar ainda destaca a mudança da consciência em relação ao voto. “A estrutura do outro lado é maior. Junta Prefeitura, Cooperaliança e todos os vereadores. Enfrentamos tudo isso e deu ‘dois por um’. Acredito que é um novo começo, um novo processo, onde cada vez mais vai se fortalecer. Teremos o voto consciente, tenho certeza disso, e uma mudança das pessoas em consciência ao voto. Estamos contentes e felizes e vou parabenizar todos os envolvidos”, finalizou.

Resultado final

Conselho de Administração

Chapa 1: 4143

Chapa 2: 1639

Brancos: 52

Nulos: 55

Total: 5889

Conselho Fiscal:

Chapa 1: 3943

Chapa 2: 1668

Brancos: 182

Nulos: 49

Total: 5842

Delegados Representantes Junto à Fecoerusc

Chapa 1: 3935

Chapa 2: 1641

Brancos: 209

Nulos: 48

Total: 5833

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.