- PUBLICIDADE -

Nova Veneza

Foto: Lucas Colombo/TN

Uma parte da história resumida em ruínas. É assim que está um dos primeiros cemitérios de Nova Veneza, construído na comunidade de São José por famílias italianas que fundaram a antiga colônia no sul catarinense. Desativada desde meados da década de 1970, a estrutura está abandonada à ação do tempo. Há anos, a vegetação encobriu as lápides e os restos de túmulos, que hoje são moradas de animais peçonhentos, como cobras e aranhas.

- PUBLICIDADE -

Apesar dos restos mortais já terem sido transportados a outros cemitérios, o local ainda preserva características históricas. Isso porque, mesmo em meio ao musgo e ao desgaste, em algumas sepulturas é possível ler os nomes daqueles que ajudaram a construir o município.

Foto: Lucas Colombo/TN

O antigo cemitério fica no terreno de Vilson Francisco Nazari, mais conhecido como Ferrugem. Segundo ele, foi apenas recentemente que o descaso que envolve esse espaço voltou à tona. “Isso aqui ficou abandonado por 42 anos. Ninguém se interessou de ver como estava. Todo ano, no Dia das Almas, era eu quem parava ali na frente do capoeirão e entrava para olhar. E ficou assim por muito tempo. Aí quando resolvi desmanchar, porque estava abandonado, vieram me impedir”, desabafa.

Confira a reportagem completa na edição desta segunda-feira, 25, do jornal Tribuna de Notícias. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Nova Veneza

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.