Criciúma: Parceria busca melhorar mobilidade urbana no Pio Corrêa

Estudar estratégias junto ao poder público para minimizar os transtornos no tráfego está entre as prioridades da associação de moradores do bairro

Foto: Lucas Colombo/TN

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Transitar pelas ruas do bairro Pio Corrêa durante os horários de pico, como no início da manhã e no fim da tarde, é sinônimo de transtorno para os motoristas. O fluxo intenso de veículos no local faz com que lentidão, dificuldades para estacionar e estresse ao volante se tornem rotineiros. Mas, se para quem está de passagem a situação é um problema, para quem mora nessa região de Criciúma o quadro é ainda pior. Por isso, preocupados com a mobilidade urbana, os moradores do bairro decidiram se unir e, na tarde dessa quinta-feira, 23, buscar soluções junto ao poder público.

- PUBLICIDADE -

Os membros da Associação de Amigos e Moradores do Bairro Pio Corrêa (Amopio) se reuniram com representantes da Diretoria de Trânsito e Transporte (DTT) de Criciúma, para que sejam traçadas estratégias para minimizar os transtornos no local. “Historicamente o Pio Corrêa já tem problemas com mobilidade. O bairro possuía perfil residencial e, com o tempo, passou a ser misto com os incrementos que ocorreram, principalmente na área da saúde. Isso, junto ao movimento dos colégios, deixou tudo mais complicado”, pontua o presidente da Amopio, José Carlos Virtuoso.

Durante a reunião, os representantes da Amopio apresentaram sugestões pontuais para contribuir com o trabalho a ser feito pelos órgãos competentes. Entre as questões listadas esteve a supressão de vagas de estacionamento em alguns pontos, a criação de áreas de rotativo e melhorias na sinalização vertical. “Eles (da DTT) nos passaram que já existem estudos sendo feitos e que nos darão um retorno em curto espaço de tempo”, acrescenta Virtuoso.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.