Criciúma: canal auxiliar tem mais uma etapa concluída

Município está com projeto pronto para terceiro segmento, para obra entre os bairros Santa Bárbara e Santo Antônio. Porém, ainda não possui os recursos, orçados em R$ 11 milhões

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

SUELEN BONGIOLO
Criciúma

Voltado a facilitar o escoamento das águas do Rio Criciúma e evitar alagamentos, o canal auxiliar alcança mais uma etapa concluída. O segundo segmento do projeto de drenagem foi finalizado pelas equipes responsáveis pela obra – empresa Setep, Unesc e Iparque e Prefeitura de Criciúma. Os trabalhos nesse trecho tiveram um investimento aproximado de R$ 15 milhões, entre recursos próprios do Município e também oriundos do Governo Federal.

- PUBLICIDADE -

De acordo com a secretária de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana de Criciúma, Kátia Smielevski, uma equipe está apenas finalizando um muro, que foi danificado, mas o trecho do canal auxiliar em si já está pronto. “Agora, nós temos o projeto executivo da Etapa Três, que vai de onde terminou a Etapa Dois até a Avenida Centenário, no bairro Santo Antônio. Esse trecho ainda não tem recursos, que nós vamos buscar agora”, ressalta a secretária.

O investimento previsto para a terceira etapa do prolongamento do Canal Auxiliar do Rio Criciúma é estimado em R$ 11 milhões.

Outras intervenções previstas

Executada desde junho de 2016 e dividida em dois lotes, a segunda etapa da obra passou por trechos dos bairros Operária Nova e Santa Bárbara. Os trabalhos foram finalizados entre as ruas Ângelo Peruchi e Artur Pescador. É desse ponto que terá início a terceira fase, seguindo até a ponte localizada na Avenida Centenário, no bairro Santo Antônio, concluída em 2015. “Dali em diante, até o Rio Sangão, o Rio Criciúma não seria mais canalizado. Seria só feita a contenção de encostas. Mas não temos esse projeto ainda”, pontua Kátia.

Com a Etapa Três dependendo da parte financeira, a Administração Municipal já começa a estipular outras ações envolvendo esse trabalho de drenagem. “Também tem uma etapa que será entre o Centro, passando pelas proximidades do Colégio Marista, até a pracinha do Sesc. Porque ali também há alagamentos quando ocorrem fortes chuvas. Então estamos começando a desenvolver esse projeto para, posteriormente, buscar recursos para ele também”, detalha a secretária.

Atualmente, o canal começa na Rua João Cechinel, no bairro Pio Corrêa, e cruza a área central da cidade. Então, conforme Kátia, a quarta etapa partiria desse ponto, em direção ao bairro Mina Brasil.

Andamento dos trabalhos

Segundo a responsável pela secretaria, as obras da segunda etapa transcorreram com transtornos comuns nesse tipo de trabalho, mas sem que comprometessem a qualidade ou a funcionalidade do projeto de drenagem.

No decorrer dos últimos meses, o Município precisou pagar algumas indenizações, como benfeitorias em imóveis atingidos de alguma forma e a desapropriação de duas residências. A mais recente foi oficializada no início deste mês, envolvendo uma edificação de 126 metros quadrados, localizada na Rua Ângelo Peruchi. “Era de uma casa de madeira que ficou em risco de desabar, porque ficava muito próxima ao rio, e ela já tinha bastantes problemas estruturais. Então negociamos por R$ 20 mil e a demolimos, e o proprietário ficou com o terreno”, conta a secretária.

OBJETIVO ALCANÇADO
Na avaliação dela, apesar das intervenções que envolvem o córrego prosseguirem em novas etapas, os resultados da obra já são percebidos. “Com certeza, já está desempenhando o papel do próprio Rio Criciúma, que agora está canalizado. Antes tinha desmoronamento, tinha erosões e, agora, ele está canalizado. E o canal auxiliar também está cumprindo o seu papel, que é de aumentar a vazão do rio”, acrescenta Kátia.

A primeira etapa das obras de prolongamento do canal auxiliar, em paralelo ao Rio Criciúma, totalizou 1,7 metros de extensão. Ele abrangeu a área central, entre as ruas Mario da Cunha Carneiro e Vitório Serafim.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.