- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Barueri/SP

- PUBLICIDADE -

Fotos: Jefferson Vieira/Oeste F.C.

A promessa foi cumprida. Durante a última semana de treinos, os jogadores do Criciúma se comprometeram a honrar o manto carvoeiro. E assim foi. Na noite desta sexta-feira, o Tricolor Carvoeiro, de virada, venceu o Oeste por 2 a 1, fora de casa, e pode encerrar a Série B na 17ª posição, dependendo dos últimos resultados da rodada, que acontecem neste sábado. Isso viabilizaria uma entrada na justiça desportiva, contra possíveis irregularidades do Figueirense na competição, e poderia reverter o rebaixamento do Tigre. “Agora temos um fio de esperança, no tribunal, e vamos ver o que acontece. Vamos esperar”, pontua o goleiro Paulo Gianezini, ao final do jogo.

No primeiro tempo, Fábio abriu o placar, de pênalti, após um desempenho ruim do time treinado por Roberto Cavalo. Na etapa final, o jovem Luquinha entrou e mudou o jogo. Léo Gamalho marcou duas vezes, aos 10 e 13 minutos, e determinou o resultado final. Apesar do rebaixamento para a Sèrie C, o ano encerra com um fio de esperança para a torcida carvoeira. “Demos o nosso máximo, saímos perdendo, mas sobressaiu a vontade do grupo e buscamos a vitória”, comentou o volante Jean Mangabeira, ao final do jogo.

O jogo começou com muitos erros de passes e as equipes tendo dificuldade de armar jogadas. O Oeste tomava mais a iniciativa do jogo, mas não ameaçava o gol de Paulo Gianezini. Aos 10 minutos, Andrew foi lançado na área, mas Willian Rocha chegou na hora certa e desarmou o atacante do Criciúma. No minuto seguinte, Roberto foi derrubado pela esquerda. Resposta do Oeste. Ele mesmo cobrou e Willian Rocha cabeceou pela linha de fundo. Aos 14 minutos, após boa troca de passes, Léo Gamalho tocou para Eduardo, na área, mas o goleiro Matheus Cavichioli se antecipou e defendeu.

Aos 19 minutos, Léo Gamalho foi derrubado na intermediária. Falta. Reis pegou mal na bola e ela saiu pela linha de fundo, muito alta. A partir daí, o Tigre melhorou no jogo e assumiu o comando da partida. Porém, os erros de passes continuavam muito grandes e dificultavam a criação de jogadas de perigo. Aos 26 minutos, Léo Gamalho foi lançado pela esquerda e pediu um toque de mão do zagueiro Lídio. No minuto seguinte, Eduardo cometeu uma falta forte em Diogo, na intermediária. Falta. Roberto cobrou e novamente Willian Rocha apareceu na segunda trave, mas finalizou para fora.

Aos 33 minutos, a primeira grande chance do jogo: Carlos Eduardo apareceu pela direita, tocou para Andrew que cruzou rasteiro para Reis, que finalizou de calcanhar, mas Matheus Cavichioli fez uma defesa difícil. Boa oportunidade desperdiçada pelo Tigre. No minuto seguinte, Roberto cobrou escanteio, Derlan fez a carga nas costas de Willian Rocha e o árbitro marcou pênalti. Os jogadores do Criciúma reclamaram muito, mas de nada adiantou. Fábio bateu e marcou: 1 a 0, aos 37 minutos. Aos 41 minutos, Sandro recuou mal a bola para Gianezini e cedeu escanteio para o Oeste. Na cobrança, a zaga do Criciúma afastou,

Reis puxou o contra-ataque e foi derrubado por Matheus Jussa. Falta em lance que poderia ser perigoso. “Vamos caprichar mais. Foram muitos erros, temos que fazer melhor no segundo tempo para sair com a vitória”, comentou o atacante Reis, no intervalo.

Na etapa final, o Tigre voltou tentando buscar o gol. Entretanto, o time da casa respondeu da mesma forma e teve dois escanteios seguidos, mas a zaga afastou. Aos cinco minutos, Salomão fez o cruzamento e Derlan afastou na hora que Fabio completaria para o gol. No minuto seguinte, Carlos Eduardo cruzou e Luquinha não conseguiu completar de cabeça para o gol. Aos oito minutos, Luquinha fez boa jogada, mas finalizou mal. A pressão do Criciuma deu resultado aos 10 minutos, Lídio afastou mal um lançamento de Derlan, a bola sobrou para Andrew que avançou, passou por dois e bateu forte, mas a bola acertou a trave, no rebote Léo Gamalho empatou: 1 a 1. Após o lance, Andrew tentou pegar a bola e se envolveu em uma confusão com o goleiro Matheus Cavichioli. Amarelo para o camisa 1. Três minutos depois, Willian Rocha errou a saída de bola e, novamente, a bola sobrou para o camisa 99 que avançou e bateu forte para marcar 2 a 1 para o Criciúma.

O Tigre seguia melhor na partida. Aos 23 minutos, Marlon fez boa jogada pela esquerda e foi derrubado por Felipe Gregório. Falta. Na cobrança do próprio camisa 6, a bola saiu. Aos 28 minutos, Tite chutou forte e Paulo Gianezini pegou, no canto.

Aos 32 minutos, Paulo Gianezini saiu para afastar a bola e se chocou com Fabio, no rebote Salomão tentou encobrir o goleiro, mas a bola saiu. Dois minutos depois, Eduardo vacilou e Roberto tentou finalizar, mas a bola desviou no jogador do Tigre e saiu. Aos 42 minutos, Derlan finalizou na pequena área e Matheus Cavichioli fez uma grande defesa. No final, uma pressão do Oeste, mas o Tigre conseguiu segurar o resultado. Triunfo do Criciuma para amenizar um final de ano triste para a torcida carvoeira. “Nós sabíamos que seria um jogo complicado, mas voltamos atentos para o segundo tempo e terminamos o campeonato com dignidade”, finalizou o lateral esquerdo Marlon.

Campeonato Brasileiro – Série B – 38ª Rodada

29/11 (sexta-feira) – 21h30min – Arena Barueri, em Barueri/SP

OESTE

Matheus Cavichioli; Thiaguinho, Lídio (Felipe Gregório (Bruno Paraíba)), Willian Rocha e Gustavo Salomão; Matheus Jussa, Betinho e Diogo; Roberto, Welliton (Tite) e Fábio. Técnico: Renan Freitas

CRICIÚMA

Paulo Gianezini; Carlos Eduardo (Luquinha), Sandro, Derlan e Marlon; Jean Mangabeira, Eduardo, Foguinho e Reis (Adilson Goiano); Andrew e Léo Gamalho. Técnico: Roberto Cavalo

Arbitragem: Lucas Guimarães Rechatiko Horn; Auxiliares: Lúcio Beiersdorf Flor e Maíra Mastella Moreira (trio do RS)

GOLS: Fábio (37/1T) (O); Léo Gamalho (10/2T e 13/2T)

Cartões Amarelos: Sandro e Eduardo (C); Matheus Jussa, Matheus Cavichioli e Felipe Gregório (O)

Cartões Vermelhos: Não houve

Público: 304

Renda: R$ 2.710,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.