- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Lucas Colombo/TN

Foi um show nas arquibancadas, porém, em campo, o Criciúma apenas empatou com o Brasil de Pelotas, em 2 a 2, na noite desta terça-feira, no Majestoso. O Criciúma começou bem a partida, abriu o placar e teve a chance de ampliar o resultado. Tudo isso antes dos 10 minutos do primeiro tempo. Porém, em dois vacilos, o time gaúcho virou a partida. Na etapa final, o Tigre seguiu buscando a vitória, teve dois pênaltis não marcados, mas empatou em uma bola na marca de cal. Daniel Costa igualou. Com um jogador a mais, o Tigre não conseguiu a virada, mesmo pressionando muito o adversário. O time saiu de campo aplaudido, mas agora precisará buscar pontos fora de casa para evitar o rebaixamento para a Série C.

Mesmo com um grande público, o Brasil não se intimidou e foi para cima do Tigre. Logo no primeiro minuto, Rodrigo Alves entrou pela esquerda e bateu forte, mas a bola saiu cruzada pela linha lateral do outro lado. O time gaúcho marcava forte e o Criciúma respondia da mesma forma. Aos três minutos, Daniel Costa cobrou falta, Marcão afastou e Wesley pegou o rebote, de fora da área, mas a bola pegou na zaga e saiu. Uma pressão carvoeira se estabeleceu. Aos seis minutos, Vinícius arrancou pela esquerda e foi derrubado por Ricardo Luz. Falta e cartão para o lateral do Brasil. Empolgada, a torcida apoiava o time cantando nas arquibancadas. Na cobrança de Daniel Costa, Vinícius desviou de cabeça e abriu o placar: 1 a 0 para o Criciúma. Foi o primeiro gol do atacante com o manto carvoeiro. O Tigre seguiu na pressão. Aos nove minutos, Daniel Costa bateu falta, Sandro desviou e a bola entrou, mas o bandeirinha corretamente marcou impedimento. Nas arquibancadas, como não havia acontecido neste ano ainda, os torcedores do Criciuma vaiavam o adversário, quando eles tinham a bola, e cantavam para embalar o time. Porém, aos 12 minutos, Ricardo Luz cobrou escanteio, pela esquerda, à meia altura, a zaga falhou feio, a bola bateu na canela de Thales e entrou: 1 a 1  gol contra. O time treinado por Roberto Cavalo não sentiu o gol sofrido e voltou a buscar o gol. No minuto seguinte, Daniel Costa chutou forte, de fora da área, e Marcão pegou no canto. Mostrando poder de reação, o Tricolor Carvoeiro seguiu em busca do segundo gol.

Aos 16 minutos, William Formiga derrubou Foguinho, ao lado da área, pela direita. Falta. Marlon rolou para Carlos Eduardo, na entrada da área, mas o chute saiu por cima da trave. O time gaúcho chegou com perigo no minuto seguinte: Guilherme Queiroz girou na entrada da área e bateu forte, mas a bola saiu ao lado da trave. Aos 21 minutos, Foguinho cruzou da direita e Léo Gamalho cabeceou, mas a bola saiu, passando muito perto da trave. O Tigre batalhava em busca do gol: aos 24 minutos, Daniel Costa cobrou falta e Sandro cabeceou livre, mas a bola saiu. Três minutos depois, novamente Léo Gamalho recebeu a bola e foi derrubado. Falta na intermediária. Daniel Costa cobrou na barreira. O jogo perdeu um pouco de intensidade, até pela alta velocidade inicial de ambos os times.

Aos 33 minutos, Foguinho cruzou da direita, a bola quicou e dificultou o domínio de Daniel Costa e a finalização saiu ruim. Marcão afastou. Aos 35 minutos, Diogo Oliveira e Rodrigo Alves fizeram a festa nas costas de Carlos Eduardo. O camisa 10 levantou a cabeça, pela direita, e cruzou para Washington, no meio da área, que marcou 2 a 1 de cabeça. Virada do time gaúcho. Aos 40 minutos, Carlos Eduardo cruzou da direita, Léo Gamalho desviou e o goleiro Marcão deu um tapa na bola para escanteio. Daniel Costa bateu mal e Vinícius desviou para fora. Aos 45 minutos, Léo Gamalho cabeceou e Marcão fez uma grande defesa, evitando o empate do Criciúma. No minuto seguinte, Wesley errou a saída de bola, Guilherme Queiroz ficou com ela e finalizou pela linha de fundo. No intervalo, a torcida aplaudiu o Tigre, mesmo com a derrota parcial, e cantou a clássica música: “Vâmo, vâmo Tigre!”. “Quero ajudar o time da melhor forma, marcar gols, dar assistências, mas esse resultado que está agora não serve para nós. Temos que voltar mais fortes para conseguir a vitória”, comentou Vinícius, no intervalo.

Falha da arbitragem, mas pênalti é marcado

Na etapa final, logo no primeiro minuto, Carlos Eduardo foi derrubado, pela direita. Falta. Na cobrança, a zaga afastou, Vinícius pegou a sobra e cruzou, Thales caiu e pediu falta, mas o árbitro nada marcou. Aos três minutos, Diogo Oliveira entrou a dribles na área, mas a bola prensou em Thales e Luiz pegou. Aos quatro minutos, Carlos Eduardo saiu machucado, devido a um problema no ombro, e entrou Andrew. A torcida voltou a se empolgar e incentivava o time. Aos nove minutos, a zaga do Brasil falhou e Foguinho foi deslocado na área, mas o árbitro não marcou o pênalti. No minuto seguinte, Andrew cruzou, Sandro desviou e a zaga tirou para escanteio. Aos 13 minutos, Andrew cabeceou forte e Marcão colocou para escanteio.

Aos 16 minutos, Guilherme Queiroz entrou pela esquerda, na corrida, mas Thales se recuperou e colocou pela linha de fundo. Escanteio. No embalo da torcida, que cantava na arquibancada, o Tigre seguia pressionando o adversário. O time gaúcho mal conseguia passar do meio de campo e sofria grande pressão do Criciúma. Aos 21 minutos, Andrew foi atropelado na área e o árbitro marcou: pênalti. Daniel Costa bateu e empatou: 2 a 2 aos 23 minutos. O Criciúma seguiu pressionando. Três minutos depois, Daniel Costa cruzou, Marcão falhou e apenas desviou para escanteio. Aos 29 minutos, Ricardo Luz derrubou Vinícius, na esquerda, e recebeu o cartão vermelho.

Com um a mais, o Tigre partiu com tudo para cima. Aos 30 minutos, Daniel Costa cobrou falta para a área, Sandro tentou cabecear, mas a bola saiu. O goleiro Marcão acertou o jogador do Criciuma sem bola. O árbitro nada marcou. Com um jogador a mais, o Criciúma não conseguia marcar o gol da vitória. Aos 37 minutos, Foguinho tocou para Andrew, na direita, e ele finalizou pela linha de fundo. Só dava Tricolor Carvoeiro. Dois minutos depois, Reis chutou de fora da área, mas Marcão botou para escanteio. Aos 48 minutos, Andrew cabeceou com perfeição, mas Marcão pegou em uma defesa incrível. No final, o Criciúma seguiu pressionando, mas não obteve a vitória. Assim mesmo, saiu aplaudido do Majestoso por ter produzido muitas chances de gols. “Nem fala. Chutamos com raiva para ver se a bola entrava, mas não deu. Mesmo assim, o ponto foi importante para nós”, finalizou o zagueiro Sandro.

Campeonato Brasileiro – Série B – 27ª Rodada

Terça-feira (08/10) – 20h30min – estádio Heriberto Hülse, em Criciúma

CRICIÚMA

Luiz; Carlos Eduardo (Andrew), Thales, Sandro e Marlon; Eduardo (Reinaldo), Wesley, Foguinho e Daniel Costa (Reis); Vinícius e Léo Gamalho. Técnico: Roberto Cavalo

BRASIL-RS

Marcão; Ricardo Luz, Bruno Aguiar, Leandro Camilo (Héverton) e William Formiga; Leandro Leite, Washington e Diogo Oliveira (Pereira); Rodrigo Alves (Ari Moura), Guilherme Queiróz e Juba. Técnico: Bolívar

Arbitragem: Igor Júnio Benevenuto de Oliveira; Auxiliares: Marconi Helbert Vieira e Leonardo Henrique Pereira. (Trio de MG)

GOLS: Vinícius (6/1T) e Daniel Costa (23/2T) (C); Thales (contra – 12/1T) e Washington (35/1T) (B)

Cartões Amarelos: Eduardo, Carlos Eduardo e Andrew (C); Ricardo Luz, Leandro Camilo, Leandro Leite, Héverton e Juba (B)

Cartão Vermelho: Ricardo Luz (B)

Público: 7.229

Renda: R$ 110.640,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.