Tigre: Cavalo ainda não joga a toalha

Técnico tem convicção de que o grupo de jogadores dará a volta por cima e não será rebaixado para a Série C. Próximo desafio é contra o Figueirense

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Matematicamente, o Tigre não está rebaixado para a Série C. Para o técnico Roberto Cavalo, também não. Ele acredita que o clube não cairá, pois existe “muita coisa para acontecer ainda”. “O time está abatido e nós também. A gente sabe que não vai ser fácil, a Série B é difícil, mas conversamos rapidamente, antes da reza, com os jogadores e dissemos que tem muita coisa para acontecer ainda. Está todo mundo convicto que o Criciúma não vai cair e vamos sair desta situação”, pontua Cavalo.

O desgaste de três jogos em uma semana também colaborou para que o Tricolor Carvoeiro chegasse a essa situação. O técnico acredita que, com uma semana de treino, conseguirá dar um novo gás ao time e vencerá o Figueirense, no sábado, dia 26. “Pelo que conversamos com os jogadores. Nós entendemos que três jogos, em uma semana, desgastou muito a equipe. Hoje, o time sentiu mais. Com essa semana que teremos de trabalho, com certeza vamos ter evolução”, ressalta.

Mudanças na equipe podem acontecer também por desgastes emocionais. Cavalo reafirma que não acredita que o time cairá. “Alguns jogadores estão desgastados na parte física, técnica e emocional. Vamos analisar bem e, de repente, vamos fazer algumas mudanças, dentro do que precisamos e entendemos que poderá melhorar o time. Agora é um clássico. Nós nunca caímos e o Criciúma não cai para a Série C há muito tempo”, enfatiza. O técnico crê que, com uma sequência de vitórias, a situação melhorará. “Então, o campeonato está embolado, difícil, mas, na hora que ganharmos duas seguidas, sai tranquilo. Antes tem que ganhar uma. A hora era hoje, mas, infelizmente, a vitória não veio”, completa Cavalo.

A ansiedade que atrapalha o time

A situação de pressão também prejudica o grupo de jogadores. Para o treinador, se o time não estivesse nesta situação difícil, renderia muito mais. “Hoje (Sexta-feira), o Criciúma tem feito bons jogos. Criamos, estamos em busca desse gol para sair na frente e estamos perdendo os jogos em erros nossos. Em Curitiba já foi assim. Estamos pecando, errando. Hoje, a minha preocupação era dar mais proteção para a zaga e não tomar gol. Nós tínhamos certeza que faríamos o gol, só que, de novo, a bola passou de baixo do gol, criamos algumas situações, mas não foi o suficiente”, comenta.

Cavalo acredita que os jogadores estão sentindo o momento difícil na tabela. “Nós estamos errando e está sendo fatal. O CRB teve jogadas agudas, mas o Luiz fez poucas defesas. O goleiro deles também, mas nós finalizamos muito. Às vezes para fora e isso é falta de tranquilidade, não só de qualidade. Tem jogador com dificuldade, pelo momento que vivemos: a pressão existe e, às vezes, o atleta não está com confiança para definir a jogada e faz a escolha errada. Isso é visível”, finaliza Cavalo.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.