Sombrio: Catarinense faz sucesso no boxe

Natural de Sombrio e radicado no interior de São Paulo, Patrick Teixeira é campeão mundial da Organização Mundial de Boxe na categoria Super Meio-Médios

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Santos/SP

- PUBLICIDADE -

O boxe brasileiro está ressurgindo. E um sombriense é o responsável pelo novo sucesso do esporte no país. Patrick Teixeira, de 28 anos, é o novo campeão interino dos super-meio-médios (69,850 kg) da Organização Mundial de Boxe (WBO, na sigla, em inglês). A vitória aconteceu sobre o até então invicto Carlos Adames no Hotel Cassino Cosmopolitan, em Las Vegas, nos Estados Unidos. Nos final dos 12 rounds, Patrick venceu por decisão unânime dos jurados.

Porém, o título ganhará em importância: no próximo mês, Patrick deve ser oficializado como campeão linear da WBO, já que o mexicano Jaime Munguía, atual campeão da categoria, tem duelo marcado para janeiro de 2020 contra Gary O’Sullivan, em duelo que marca sua estreia na divisão dos médios (72,600 kg).

Com a conquista, o atleta se torna o quinto pugilista brasileiro na história a se tornar campeão mundial em uma das cinco principais entidades que regem o boxe. Antes dele, em ordem, Éder Jofre, Miguel de Oliveira, Acelino ‘Popó’ e Valdemir ‘Sertão’ marcaram seus nomes no esporte nacional.  “Cheguei ao sucesso. Agora, tenho de trabalhar o dobro, porque todos vão olhar para mim, me estudar, querendo o cinturão. Não poderá haver erros. Preciso trabalhar mais e estar mais bem preparado para próximos desafios”, afirmou Patrick, no retorno a Santos, no interior de São Paulo, onde é radicado e treina. Agora, Patrick vai passar por Santana de Parnaíba, no estado de São Paulo. Na sequência, retorna para Sombrio. A chegada deve acontecer na próxima semana.

Sobre a luta, Patrick disse que foi bastante complicada, devido aos sangramentos e inchaço na região dos olhos. Entretanto, ele percebeu que o adversário estava cansado e usou a experiência para controlar a luta. O sombriense chegou a derrubar o adversário, no sétimo round. “Fui lutando round por round, sem me precipitar. Antes da queda, eu percebi que ele estava ficando cansado. Eu pensei que o árbitro pararia a luta, porque ele não estava mais reagindo aos golpes”, pontua o lutador.

Patrick aguardará para saber qual será a próxima luta e o futuro nos ringues. “Eu estou feliz. Adames é um grande lutador e nós estávamos aptos a dar show para os fãs. Agora, sou o campeão e vamos esperar pela primeira defesa do cinturão”, finaliza.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.