Próspera joga pela honra na Série B

Diante do Fluminense, de Joinville, na tarde de hoje, equipe quer vencer para finalizar a competição estadual com uma boa imagem junto ao torcedor

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A Série B do Catarinense termina hoje para o Próspera. A partir das 15 horas, a equipe entra no estádio Mário Balsini, diante do Fluminense, de Joinville, em busca dos três pontos para fechar a campanha com “chave de ouro” e deixar uma imagem positiva junto ao torcedor. Nos últimos nove jogos, o Time da Raça não conseguiu vencer: foram quatro empates e cinco derrotas. Agora, a vitória é tida como obrigação. “A expectativa nossa sempre é ganhar. A gente sabe que tem obrigação de ganhar. A gente, mais uma vez tenho que repetir, vem fazendo jogos bons, só que os resultados não vêm aparecendo. Infelizmente, falta sempre o gol e isso nos prejudicou desde o início. A gente não tem um jogador ‘matador’ que a gente precisa. Isso faz falta”, comenta o técnico Luiz Paulo Bugre.

Mais uma vez, o treinador terá dificuldade para escalar a equipe. Ele não terá 14 jogadores para compor o elenco. Assim, um garoto de 15 anos está entre os relacionados para o confronto. “O nosso grupo é muito reduzido. Não tem atletas. Isso aí nos faz falta porque nos deixa sem opções. A nossa dificuldade é muito grande. Enquanto os outros times se reforçaram, buscaram, tem bastante gente no elenco, nós reduzimos”, pontua o treinador.

O time será quase todo com idade da categoria juvenil. “Perdemos o Alessandro que foi embora, o Max tá machucado, meus dois laterais não jogam. Então, um volante está fora também e, no total, temos sete ou oito desfalques. Vou com o time todo desfigurado. Praticamente o time todo juvenil, mas tem que ir, né? Fazer o quê?”, ressalta.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.