Reivindicações dos professores serão apresentadas ao secretário Uggioni

Audiência com o responsável pela SED será no dia 2 de outubro. Problemas e necessidades da categoria são discutidas em assembleia estadual

Foto: Divulgação/Sinte
- PUBLICIDADE -

Florianópolis

Está agendada para o dia 2 de outubro uma audiência entre dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte-SC) com o secretário de Estado Natalino Uggioni, para discutir as reivindicações da categoria. O encontro é um dos encaminhamentos da assembleia estadual realizada nessa quinta-feira, 19, em Florianópolis, que reuniu aproximadamente 1 mil professores catarinenses, incluindo um grupo da região.

- PUBLICIDADE -

De acordo com o coordenador regional do Sinte Criciúma, Ênio Leonardo Rocha Cândido, que participou do encontro na capital, esse será um passo importante para tratar sobre as principais necessidades e demandas da Educação em Santa Catarina. “Depois da audiência, será chamada a categoria para avaliar a posição que o governo demonstrar”, conta o coordenador.

A assembleia estadual dessa quinta-feira elencou os principais problemas enfrentados pelos trabalhadores dentro do ambiente escolar. “Na pauta, a valorização do profissional em educação, com tabela salarial que valorize a formação e cursos. Também a situação que envolve os ACTs (Admitidos em Caráter Temporário), que os coloca em condições precárias de trabalho, e lutas pelo respeito à lei que trata do concurso público”, lista Cândido.

Entre os outros assuntos elencados pela categoria também esteve a situação precária de unidades escolares da rede, assim como o excedente de carga horária durante o período de readaptação e o reajuste salarial.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Florianópolis

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.