“Quarentena” dos ACTs: abaixo-assinado será entregue ao MP

Medida é adotada pelo Siserp após ato no Paço Municipal de Criciúma. Ações visam pressionar Município a lançar concurso público

Foto: Rui Fernando
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Após não serem recebidos pelo prefeito Clésio Salvaro durante ato no Paço Municipal, os professores que atuam na rede de ensino de Criciúma entregarão um abaixo-assinado ao Ministério Público (MP). As medidas adotadas por meio do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Criciúma e Região (Siserp) se voltam a pressionar a Prefeitura para que seja publicado um novo concurso público para a área da Educação.

- PUBLICIDADE -

Conforme a presidente do Siserp, Jucélia Vargas, apenas com o chamamento de novos efetivos é que serão minimizados os impactos da chamada “quarentena” – período em que professores temporários precisam ficar afastados durante um ano antes de assumirem um cargo no município novamente. “Esse abaixo-assinado vai ser entregue à promotora, para ver se ela encaminha alguma coisa no sentido de obrigar o prefeito a lançar o concurso. Porque, para nós, a Justiça precisa obrigar o prefeito a fazer o concurso, a cumprir a lei”, enfatiza Jucélia.

Para continuar o debate, uma assembleia da categoria ocorrerá na próxima semana. “E também vamos conversar com os vereadores, para ver o que eles vão fazer em relação ao descumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta por parte da Prefeitura em 2017 e 2018”, acrescenta.

Mobilização intensa

Com cartazes cobrando medidas do poder público, os professores, especialmente os Admitidos em Caráter Temporário (ACTs) realizaram um ato nessa quarta-feira, 12, pedindo para serem ouvidos pelo prefeito. “A quarentena impede que professores que trabalharam em 2018 e em 2019 possam trabalhar em 2020. Portanto, se houver concurso público, muitos profissionais poderão se inscrever, serem aprovados e assumirem as vagas. E outros, aí sim, assumirem por processo seletivo, porque a promotora pode, nesse edital, retirar a quarentena apenas para o ano letivo de 2020, porque vai haver o comprometimento da Prefeitura”, destaca Jucélia.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.