Tarifa de energia elevada gera questionamentos e reclamações

Em janeiro, valor da fatura aumentou consideravelmente, desagradando os consumidores. Fórum dos Procons do estado procura Celesc para discutir o caso

Foto: Lucas Colombo/DN

- PUBLICIDADE -

A fatura de energia elétrica de janeiro pegou os consumidores das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) de surpresa. Em muitos imóveis, o valor a ser pago praticamente dobrou em relação ao mês anterior, causando revolta e questionamentos sobre a alta tão abrupta. Mesmo aqueles que não fazem uso de equipamentos conhecidos por aumentar o consumo, como condicionadores de ar, verificaram uma diferença expressiva na conta deste mês.

Um desses casos é o da família de Sara Brogni, de Nova Veneza. De R$ 220 pagos no último mês, a conta saltou para R$ 548 em janeiro. “Meu pai ficou o mês de dezembro praticamente sozinho em casa e sempre, inclusive no inverno, usa o ar-condicionado. E sempre em épocas de calor percebemos isso, mas a diferença no consumo raramente aumenta. São valores abusivos”, ressalta Sara.

- PUBLICIDADE -

No Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Criciúma, há uma média diária de dez a 15 reclamações relacionadas à tarifa elevada de energia. Conforme o coordenador do órgão municipal, Gustavo Colle, a demanda iniciou na última semana e se estendeu por todo o estado. “Fazemos parte do Fórum Estadual de Procons de Santa Catarina e esse fórum esteve reunido hoje (ontem) com a Celesc, para analisar o que provocou esse aumento que, teoricamente, é abusivo. Um ofício foi elaborado e entregue e a Celesc tem, no máximo, dez dias para dar um parecer explicando com fundamentação técnica e, se possível, com documentos esse aumento”, explica.

De acordo com Colle, os consumidores agora precisam ter paciência e aguardar o parecer emitido pela Celesc.

Confira a reportagem completa na edição desta quarta-feira, 23, do jornal Diário de Notícias. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.