Startup Weekend: a oportunidade de empreender e abrir caminhos

Evento, com três dias de imersão, chega a quinta edição e ocorre na Associação Empresarial de Criciúma (Acic)

Foto: Tiago Monte/TN
- PUBLICIDADE -

 

Marciano Bortolin

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Em 2016, Vaime Júnior buscou conhecer uma novidade que chegava à Criciúma: o Startup Weekend. Com a intenção de mergulhar no mundo da inovação e tecnologia e pouco tempo depois de fechar as portas de sua empresa, ele foi ao evento para aprender um pouco mais sobre as startups. Lá, se interessou pela ideia apresentada por uma pessoa: a busca pela solução por um problema identificado no setor de Recursos Humanos (RH) das empresas. Simpático da iniciativa ele demonstrou interesse em participar daquele grupo que, ao final, contava com oito integrantes.

Eles não ficaram entre os três premiados do evento, mas a iniciativa prosperou e hoje eles colocam em prática um sistema que auxilia as empresas a encontrar os melhores colaboradores. “Na época eu não conhecia muito o mundo das startups e tive a oportunidade de, além da parceria com os meus sócios, absorver muito aprendizado. Passamos a entendemos melhor como funciona este universo e em 2018 colocamos em prática. Vimos a importância da Startup Weekend”, comenta.

A Chawork, empresa que Júnior mantém ao lado dos sócios, é uma das que nasceram no evento que neste ano chega a 5ª edição em Criciúma. De sexta-feira, dia 4, até domingo, dia 6, mais de 80 pessoas entrarão de cabeça no mundo da inovação e tecnologia e, mais que a possibilidade de sair da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), com o início de um negócio formatado, possibilita muito conhecimento e apresentação de metodologias para serem aplicadas no dia a dia.

Um dos organizadores, Jhony Pereira, comenta que serão 54 horas de imersão. “Os participantes têm a oportunidade de se organizar em equipe, formular um modelo de negócio, validar este modelo até o domingo, que é quando apresentam toda a evolução do final de semana para uma banca de jurados”, explica.

Para o desenvolvimento do trabalhos, os participantes contam com o auxílio de uma equipe de mentores recrutada pela organização. “Eles darão apoio em modelo de negócio, soluções de problemas, mapeamento de perfil de usuários para ter todo o embasamento sempre focando no usuário final que é uma das temáticas do programa em si. Sempre focado no cliente”, acrescenta Pereira.

Além de troféu, as três melhores ideias apontadas pela banca de jurados ganha patrocínios globais e pontuais, que vão desde recursos para implantação, sistemas de gestão, cursos, entre outros.

Pereira diz ainda que o evento não é apenas selecionar as três melhores ideias, mas também promove conhecimentos que se perpetuam. “O Startup Weekend é para a vida. Aquilo que você aprende no evento não necessariamente será usado para criar uma startup. Muitas empresas estão apoiando os colaboradores a participar devido ao conhecimento que eles adquirem. Saem de lá com uma cabeça totalmente diferente. É exposto que é preciso parar de focar em problemas que ele tem na empresa para tratar o problema dos clientes, seja solução tecnológica, de processos, entre outros. Também desperta o espírito de equipe, o ‘pensar fora da caixa’, que vai muito além do cotidiano”, pontua.

O organizador lembra que a sua startup foi uma das três selecionadas na primeira edição, porem acabou não prosperando, mas o conhecimento que ele obteve o ajudou a criar outra ideia que hoje é o seu negócio.

Na sexta-feira, primeiro dia de evento, os participantes são chamados a apresentar ideias, soluções para problemas que tenham identificado. “Cada pessoa tem um minuto para apresentar. Em média, 30 a 40 ideias surgem, das quais, dez ou 12 melhores são trabalhadas durante o final de semana, na busca por transformar aquelas ideias em um negócio”, explica o também organizador, Victor Ferro Mazzuco, apontando ainda a Startup Weekend como uma porta de entrada ao empreendedorismo. “O melhor caminho para começar empreender é estar dentro do Startup Weekend, conhecendo pessoas, metodologias, isso vai facilitar todo o processo. Em uma jornada solo, a pessoa até consegue, mas o melhor é ter alguém apoiando”, conclui.

A Startup Weekend também ajuda a difundir e fortalecer o ecossistema de inovação e tecnologia da região. Hoje, somente em Criciúma, são 18 comunidades independentes distribuídas em diversas áreas. “Isso começou lá na primeira edição. Não é alguma coisa que acontece só no evento, mas vai deixando pegadas na região”, diz.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.