Semana do Brasil deve movimentar comércio catarinense

Campanha do Governo Federal coincide com a Semana Azul, promovida pela FCDL/SC

Foto: Lucas Colombo/Arquivo/TN
- PUBLICIDADE -

É com otimismo que os lojistas catarinenses se preparam para a Semana do Brasil, entre os dias 6 e 15 de setembro. Promovida pelo Governo Federal, a campanha conta com a adesão Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) de Santa Catarina e deve movimentar o comércio em um mês historicamente considerado de entressafra para as vendas.

“Setembro fica entre o Dia dos Pais e o Dia das Crianças, o que faz com que o volume de vendas seja menor do que em outros meses. A tendência é que, aliada à liberação de parte do FGTS, PIS e primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas, dê um bom resultado”, explica o gerente-comercial da FCDL/SC, Valdenir Manoel da Silva.

- PUBLICIDADE -

Com forte apelo patriota, o governo visualizou no período próximo à comemoração da Independência do Brasil uma oportunidade para incentivar o consumo e movimentar a economia. Em Santa Catarina, a Semana do Brasil coincide, ainda, com a campanha Consumo Azul, para incentivar o consumo consciente e que oferece condições de renegociação de dívidas.

Também chamada informalmente como Black Friday da Independência, a semana deve contar com promoções e condições especiais de pagamento. Uma tradição nos Estados Unidos, a Black Friday original acontece em novembro, na sequência do dia de Ação de Graças, um dos feriados mais importante do ano para os norte-americanos. A data tem forte apelo comercial e no dia seguinte acontecem trocas de mercadorias e queima de estoque. As lojas físicas brasileiras aderiram às promoções nesta época para competir com o comércio eletrônico.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.