Sem estacionamento rotativo, comerciantes temem queda no movimento

Motivo é suspensão do edital para contratação de nova empresa para gerenciar o estacionamento por parte do TCE/SC. Contrato com a atual administradora termina hoje

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

 

Marciano Bortolin

- PUBLICIDADE -

Araranguá

Hoje encerra o contrato com a empresa que gerencia o estacionamento rotativo de Araranguá e o imbróglio envolvendo o edital para contratação da nova administradora tem preocupado os comerciantes, principalmente, com a chegada de datas de maior movimento, como o Dia das Crianças, no próximo dia 12 de outubro, e o período o Natal. O temor, aponta o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade, Luiz Gonzaga Pereira, é que as pessoas passem a utilizar as vagas de estacionamento por longos períodos, o que pode, segundo ele, prejudicar o bom movimento tão aguardado pelos lojistas. “Vai ser um caos. A palavra é esta. Estamos preocupados com esta situação até porque o centro de Araranguá, em função do alto fluxo de veículos, vem há bastante tempo necessitando de organização do espaço público para as pessoas não utilizem como um estacionamento permanente, mas temporário, rotativo, como o próprio nome diz”, destaca.

A empresa que substituiria a Sermog (atual responsável pelo estacionamento rotativo) seria conhecida na última sexta-feira, dia 27 de setembro, porém, o Tribunal de Contas do Estado (TCE/SC) pediu a suspensão do edital após denúncias de uma das participantes do processo licitatório. Entre as alegações, para a sustação o processo licitatório, estaria a grande exigência de qualificação das empresas interessadas critérios técnicos utilizados para nortear a tarifa, bem como o estudo de viabilidade econômica do certame, entre outros

A Administração Municipal emitiu nota assinada pelo secretário de Secretário de Planejamento, Industria e Comércio Francisco Diello de Souza, onde esclarece o acontecido. “A Administração Municipal, primando sempre pelo melhor interesse público, dentro das premissas legais, e dos Princípios Constitucionais da Supremacia do Interesse Público, Princípio da Impessoalidade, Princípio da Legalidade, principalmente, o Princípio da Moralidade, lançou o presente edital, exigindo que as empresas interessadas apresentassem qualificação técnica para comprovação de que teriam know-hall para gerir o estacionamento rotativo dentro das condicionantes presentes no edital, tudo conforme havia sido discutido e proposto nas reuniões com a Câmara de Vereadores, que posteriormente virou Lei no Município de Araranguá, para inclusão de meios tecnológicos que facilitem a vida do usuário”, descreve no texto.

O estacionamento rotativo de Araranguá possui mais de mil vagas e abrange toda a área central da cidade. O presidente da CDL revela que desde abril o órgão alerta o Poder Público sobre a importância de não interromper o serviço. “Houve o compromisso de que tudo seria feito dentro do tempo, aí começou a demorar, teve o problema de aprovação de lei, os vereadores acabaram pedindo algumas informações, chegamos a nos reunir com eles, com o setor de Planejamento, de Trânsito do Município, intermediando algumas situações, até que foi aprovado e na hora de sair o edital houve este problema”, relata.

*A reportagem completa você confere no TN desta sexta-feira, dia 4.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Araranguá

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.